Sexta-feira da décima sexta semana do Tempo Comum

Hoje é dia vinte e oito de julho, sexta-feira da décima sexta semana do Tempo Comum.

A experiência da fé
conduz-nos no sentido da indigência,
da procura, do amor. 
Abre a tua mente, os teus lábios e o teu coração
para o louvor, a prece e a ação de graças.
E começa a tua oração, hoje,
com os seguintes versos do poeta Ruy Belo:
«És tu quem perseguimos pelos lábios
e tens em equilíbrio os seres e o tempo.
És tu quem está nos começos do mar
e as nossas palavras vão molhar-te os pés.
Tu tens na tua mão as rédeas dos caminhos».

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus [Ev Mt 13, 18-23] 

Disse Jesus aos seus discípulos:
«Escutai o que significa a parábola do semeador:
Quando um homem ouve a palavra do reino
e não a compreende,
vem o Maligno e arrebata o que foi semeado no seu coração.
Este é o que recebeu a semente ao longo do caminho.
Aquele que recebeu a semente em sítios pedregosos
é o que ouve a palavra e a acolhe de momento com alegria,
mas não tem raiz em si mesmo, porque é inconstante,
e, ao chegar a tribulação ou a perseguição por causa da palavra,
sucumbe logo.
Aquele que recebeu a semente entre espinhos
é o que ouve a palavra,
mas os cuidados deste mundo e a sedução da riqueza
sufocam a palavra, que assim não dá fruto.
E aquele que recebeu a palavra em boa terra
é o que ouve a palavra e a compreende.
Esse dá fruto
e produz ora cem, ora sessenta, ora trinta por um». 

 

Pontos de oração

Hoje, Jesus explica que a semente que caiu em sítios pedregosos é o homem que «ouve a palavra e a acolhe com alegria mas não tem raiz em si mesmo (…) e ao chegar a tribulação (…) por causa da palavra (…) sucumbe logo». 

Muitas vezes para nós sermos inconstantes não precisamos de tribulações ou perseguições, mas apenas de distrações ou flutuações de humor. Podias pedir a constância e serenidade ao Senhor teu Deus e teu Pai.

Agora, ao ouvires o texto outra vez, imagina Jesus a explicar os diferentes significados da parábola, e imagina a atenção dos discípulos, cada um a ficar tocado por um aspeto diferente...

 

Colóquio final

No final da oração de hoje expressa a Jesus a tua vontade de não te deixares perturbar na tua assimilação da palavra. Expressa a Jesus o teu desejo de não seres inconstante. Que o teu desejo não decorra da tua variação de humor.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.