DOMINGO IV DA QUARESMA

Hoje a Igreja celebra o quarto domingo da quaresma.

Se for possível,
oferece-te um lugar e um tempo sossegados
para o teu encontro com Deus,
em oração.
Não é um esforço inútil,
este de dar a Deus um tempo um pouco mais longo,
num lugar onde te sintas particularmente em paz.
Também isso é uma forma de dizer ao Senhor
a medida do teu amor
e, sobretudo, a medida do teu desejo de estar com Ele.
Mas não te deixes abater pela tristeza ou pelo desânimo
se não puderes dispor de um tempo ou de um lugar assim.
Dá ao Senhor o que te for possível
e hás de receber cem vezes mais,
pois essa é a medida do amor de Deus por ti.

Vais escutar uma passagem do Salmo trinta e três.
Trata-se de uma oração contínua de louvor, agradecendo a intervenção de Deus, que liberta o salmista em situação crítica.

[Salmo 33 (34)]

A toda a hora bendirei o Senhor,
o seu louvor estará sempre na minha boca.
A minha alma gloria-se no Senhor:
escutem e alegrem-se os humildes.
Enaltecei comigo ao Senhor e exaltemos juntos o seu nome.
Procurei o Senhor e Ele atendeu-me,
libertou-me de toda a ansiedade.
Voltai-vos para Ele e ficareis radiantes,
o vosso rosto não se cobrirá de vergonha.
Este pobre clamou e o Senhor o ouviu,
salvou-o de todas as angústias.
O Senhor escuta a oração e o clamor do pobre, incapaz de se bastar a si mesmo.
“Procurei o Senhor e Ele atendeu-me”.
“O Senhor libertou-me de toda a ansiedade”.
“Este pobre clamou e o Senhor o ouviu”.

No passado, em alturas dramáticas muito concretas, Deus interveio em favor do seu povo. Contudo, esta ação libertadora de Deus remonta a tempos longínquos, quase correndo o risco de se confundir com o lendário.
Nenhum relato pode substituir a tua experiência. O que imprime força e autoridade a estas narrações antigas é que também tu, hoje, podes fazer uma experiência equivalente, contanto que te abras a Deus.

Escuta novamente o salmo.
Neste tempo de quaresma, em vista da tua Páscoa, poderá ser determinante cultivares uma pobreza e humildade sinceras. Procura também ser sensível e solícito para com aqueles que habitam nas franjas e dos quais ninguém quer saber.

Nesta nova semana que tens pela frente, pede a graça de morrer a ti mesmo e confiar no Senhor. Só assim te poderás deixar conduzir no caminho da Páscoa.

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.