Sexta-feira do Tempo do Natal depois da Epifania

Hoje é dia onze de janeiro, sexta-feira do tempo do Natal.

A oração é o recurso dos pobres,
e precisa de um coração pobre,
para ser verdadeira oração.
Um coração pobre pode encontrar-se em qualquer pessoa,
não importa a quantidade de bens que possui.
Mas é verdade que quem possui muitas coisas tem mais dificuldade
em reconhecer e viver a pobreza do coração.
Hoje, pede ao Senhor que te ensine a reconhecer
aquilo que precisas de deixar para teres um coração pobre...
e com este pedido começa a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 5, 12-16]

Estando Jesus em certa cidade,
apareceu um homem cheio de lepra.
Ao ver Jesus,
caiu de rosto por terra e suplicou-Lhe:
«Senhor, se quiseres, podes curar-me».
Jesus estendeu a mão e tocou-lhe, dizendo:
«Eu quero; fica curado».
E imediatamente a lepra o deixou.
Jesus ordenou-lhe que a ninguém o dissesse,
mas acrescentou:
«Vai mostrar-te ao sacerdote e oferece pela tua cura o que Moisés ordenou,
para lhes servir de testemunho».
Cada vez se divulgava mais a fama de Jesus
e reuniam-se grandes multidões
para O ouvirem e serem curados dos seus males.
Mas Jesus costumava retirar-Se em lugares desertos para orar.

“Senhor, se quiseres, podes curar-me”.
A oração do leproso, pronunciada com tanto sentido de adoração e humildade, vai direta ao coração de Jesus. Como poderia Ele recusar? A sua resposta é imediata: “Eu quero; fica curado”.

Jesus não Se limita a falar, mas toca naquele homem, assume a sua impureza que o torna marginalizado de tudo e de todos. Gesto sacramental do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Também o teu. Agradece.

Jesus não quer que falte o certificado da legítima autoridade, para que a cura se torne pública e notória. Também para cada cristão é necessária a prova documental. Um papel assinado pelo bispo? Se a tua ação o contradiz, que valor tem?

Termina este tempo de oração pedindo ao Senhor que te salve da cegueira do prazer, do poder do dinheiro, da vã glória de mandar. Que a tua vida divulgue a sua fama. Que Ele cresça em ti e tu diminuas.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.