Sexta-feira da terceira semana do Tempo Comum

Hoje é dia um fevereiro, sexta-feira da terceira semana do tempo comum.

Rezar é sair de si e partir em busca do rosto de Deus.
Não importa se rezas para pedir ou para louvar,
para te queixares ou para agradecer.
O importante é que faças da tua oração um caminho,
uma peregrinação em busca de Deus,
procurando o seu rosto,
desejando estar na sua presença.
Rezar é sair de si, em busca do rosto de Deus.
Hoje pede humildemente:
“Não afastes de mim o teu rosto, Senhor”.
E começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem da Carta aos Hebreus. [L1 Heb 10, 32-39]

Lembrai-vos dos primeiros dias,
em que, depois de terdes sido iluminados,
suportastes tão grandes e dolorosos combates,
ora expostos publicamente aos insultos e tribulações,
ora tornando-vos solidários com os que eram assim tratados.
De facto, compartilhastes o sofrimento dos prisioneiros
e aceitastes com alegria a espoliação dos vossos bens,
sabendo que possuís riqueza melhor e duradoira.
Não queirais, portanto, perder a vossa confiança,
que terá uma grande recompensa.
Vós tendes necessidade de perseverança,
para cumprir a vontade de Deus e alcançar os bens prometidos.
Porque «ainda um pouco e bem pouco tempo,
e Aquele que há de vir não tardará».
Ora «o meu justo viverá pela fé,
mas se retroceder, não agradará à minha alma».
Nós não somos daqueles que retrocedem para a sua perdição,
mas daqueles que perseveram na fé para salvar a sua alma.

Na Carta aos Hebreus, que acabaste de escutar, o Autor faz memória dos tempos em que a confiança no Senhor era mais natural, para que essa memória de consolação seja alimento nos tempos mais penosos, de dúvida ou de incerteza.
Olha para ti. Será tempo de guardares no coração a confiança que te habita ou de te relembrares da certeza que deve orientar os teus passos?

Toda a memória gera gratidão e recentra o coração na presença do Senhor que o habita e sustenta. Nesse olhar para trás, a presença de Deus revela-se mais intensamente e consegues seguir o seu rasto de amor e fidelidade. Experimenta e alegra-te.

Presta atenção à sabedoria das palavras que vais escutar. É a ti que te exortam a perseverares na fé.

Termina a tua oração colocando nas mãos do Senhor todos aqueles que estão a passar por crises de fé, para que possam permanecer fiéis nos tempos de escuridão. E se conheceres alguém nestas circunstâncias, pergunta ao Senhor se a tua presença e testemunho poderão ajudar...

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.