Sexta-feira da quarta semana do Tempo Comum

Hoje é dia oito de fevereiro, sexta-feira da quarta semana do tempo comum.

Quase nem dás pelo passar dos dias
e, no entanto, eles passam incessantemente,
levando-te com eles.
Se não tens onde colocar os pés com firmeza,
uma rocha firme onde te agarrares,
torna-se difícil encontrar um sentido para o tempo que passa
e parece levar tudo consigo.
O teu Deus é o teu rochedo,
a tua oração é os braços e as mãos com os quais te agarras ao seu amor
e dás sentido aos teus dias.
Diz ao Senhor:
“Vós sois o meu refúgio, a fortaleza da minha alma”...
e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Salmo vinte e seis. [Sl 26 (27), 1.3.5.8b-9abc]

O Senhor é minha luz e salvação: a quem hei de temer?
O Senhor é protetor da minha vida: de quem hei de ter medo?
Se um exército me vier cercar, o meu coração não temerá.
Se contra mim travarem batalha, mesmo assim terei confiança.
No dia da desgraça, Ele me esconderá na sua tenda,
ocultar-me-á no recôndito do seu santuário,
elevar-me-á sobre um rochedo.
A vossa face, Senhor, eu procuro:
não escondais de mim o vosso rosto,
nem afasteis com ira o vosso servo:
Vós sois o meu refúgio.

O salmo que acabaste de escutar fala de confiança. Quando tudo corre bem, confiar é mais natural e mais fácil. Mas quando parece que tudo corre como não esperavas, confiar torna-se mais difícil e aí percebes: confias porque essa confiança te é dada como um dom e não como uma capacidade.

Para quem acredita em Deus, viver consciente da própria pequenez e fraqueza é o primeiro passo da verdadeira fortaleza. Pensa nisto.

Confias no Senhor? Confias, mesmo, no Senhor? Entrega-Lhe a tua prece. E repete com o salmista: «A vossa face, Senhor, eu procuro [...] Vós sois o meu refúgio».

Ao escutares de novo o salmo, procura interiorizar o seu compasso orante, para que na mais banal das situações o possas encontrar em ti e assim ires unindo, cada vez mais, a tua vida com a tua oração.

Termina esta oração pedindo ao Senhor que aumente a tua fé, tornando-te mais consciente de como ela é preciosa.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.