Sexta-feira da quarta semana da Quaresma

Hoje é dia onze de Março, sexta-feira da quarta semana da Quaresma.

“Ouvi, Senhor, a minha oração”. 
Muitas vezes, 
a oração é um pedido simples com este, 
é apenas o desejo de ser escutado, 
de saber que Deus não está ausente da tua vida. 
Hoje, 
começa por aqui, 
pelo desejo humilde de estar com o Senhor e ser escutado por Ele... 
Começa assim a tua oração. 

 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São João. [Ev Jo 7, 1-2.10.25-30]
 
Jesus percorria a Galileia, evitando andar pela Judeia,
porque os judeus procuravam dar-Lhe a morte.
Estava próxima a festa dos Tabernáculos.
Quando os seus parentes subiram a Jerusalém, para irem à festa, 
Ele subiu também, não às claras, mas em segredo.
Diziam então algumas pessoas de Jerusalém:
«Não é este homem que procuram matar?
Vede como fala abertamente e não Lhe dizem nada.
Teriam os chefes reconhecido que Ele é o Messias?
Mas nós sabemos de onde é este homem,
e, quando o Messias vier, ninguém sabe de onde Ele é».
Então, em alta voz, Jesus ensinava no templo, dizendo:
«Vós Me conheceis e sabeis de onde Eu sou!
No entanto, Eu não vim por minha própria vontade
e é verdadeiro Aquele que Me enviou
e que vós não conheceis.
Mas Eu conheço-O,
porque d’Ele venho e foi Ele que Me enviou».
Procuravam então prender Jesus, mas ninguém Lhe deitou a mão,
porque ainda não chegara a sua hora.

 

Pontos de oração

Jesus não procura o sofrimento pelo sofrimento ou o conflito pelo conflito. Mas não foge da missão de serviço universal que o Pai lhe confia. Vive em discernimento, aguardando a hora certa, mas é fiel e consciente de quais podem ser as consequências dessa fidelidade. Procuras ser fiel à missão de serviço que Deus te confia?

É duro alguém que julga saber tudo ou quase tudo sobre Deus ouvir Jesus dizer: tu não O conheces. A intimidade de Jesus com o Pai leva-O a estabelecer relações livres e libertadoras. É assim que cumpre a vontade de quem O enviou. 
A tua relação com Deus, o conhecimento que d’Ele tens leva-te mais a libertar ou a condenar?

 

Nesta nova leitura do texto de João repara como se pressente no ar uma certa resistência a Jesus. Vê como Ele reage a essa resistência.

 

Colóquio final

Coloca-te diante de Deus numa atitude de serviço. Pede-Lhe que as tuas relações sejam lugares em que se manifesta o seu amor libertador.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.