Sexta-feira da quinta semana da Quaresma

Hoje é dia dezoito de Março, sexta-feira da quinta semana da Quaresma.

Da Comunidade de Taizé, estás a escutar Nada te Turbe.

Descobrir no íntimo do teu coração o amor sem limites que o Senhor tem por ti é sinal da tua abertura à sua presença. 
Ele só precisa que O deixes entrar na tua intimidade para te poder manifestar o seu amor. Reconhecendo-O assim presente em ti tornas-te capaz de responder ao seu amor na tua vida de cada dia. 
Arrisca e oferece a tua vida ao Senhor. Diz-lhe que queres viver como Ele quiser. 
N’Ele e com Ele. 
Diz-Lhe que confias inteiramente na sua vontade. 
Assim, vale a pena começares a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São João. [Ev Jo 10, 31-42]

Os judeus agarraram em pedras para apedrejarem Jesus.
Então Jesus disse-lhes:
«Apresentei-vos muitas boas obras, da parte de meu Pai.
Por qual dessas obras Me quereis apedrejar?»
Responderam os judeus:
«Não é por qualquer boa obra que Te queremos apedrejar:
é por blasfémia,
porque Tu, sendo homem, Te fazes Deus».
Disse-lhes Jesus:
«Não está escrito na vossa Lei: ‘Eu disse: vós sois deuses’?
Se a Lei chama ‘deuses’ a quem a palavra de Deus se dirigia
– e a Escritura não pode abolir-se –,
de Mim, que o Pai consagrou e enviou ao mundo,
vós dizeis: ‘Estás a blasfemar’,
por Eu ter dito: ‘Sou Filho de Deus’!»
Se não faço as obras de meu Pai,
não acrediteis.
Mas se as faço,
embora não acrediteis em Mim,
acreditai nas minhas obras,
para reconhecerdes e saberdes
que o Pai está em Mim e Eu estou no Pai».
De novo procuraram prendê-Lo,
mas Ele escapou-Se das suas mãos.
Jesus retirou-Se novamente para além do Jordão,
para o local onde anteriormente João tinha estado a baptizar
e lá permaneceu.
Muitos foram ter com Ele e diziam:
«É certo que João não fez nenhum milagre,
mas tudo o que disse deste homem era verdade».
E muitos ali acreditaram em Jesus. 

 

Pontos de oração

Ao longo desta última semana da Quaresma, a teia foi-se apertando em torno de Jesus. “Não é por qualquer boa obra que Te queremos apedrejar: é por blasfémia, porque Tu, sendo homem, Te fazes Deus». Esta é a acusação grave que pesa sobre Jesus e O vai levar à morte: sendo homem, tem a pretensão de se fazer igual a Deus. 
A fé diz-te que as coisas são ao contrário: Jesus é Deus que se faz homem, na pessoa de um modesto galileu, para deste modo te convidar à comunhão com Ele. Acolhe com humildade o amor de Deus que, nos acontecimentos deste dia, continua a vir ao teu encontro. 

As obras de Jesus falam por si, constituindo o melhor testemunho da sua identidade – são o seu passaporte. Mais ainda, as obras de Jesus remetem permanentemente para o Pai e a sua comunhão com o Filho. O acolhimento de Jesus transforma-te, fazendo-te tomar consciência que Deus é teu Pai. Procura ser para os outros o que Jesus é para ti. 
As tuas obras levam as pessoas a descobrir Deus? 

Escuta novamente o Evangelho. 
«Acreditai nas minhas obras, para reconhecerdes e saberdes que o Pai está em Mim e Eu estou no Pai». 
As obras de Jesus, mais do que darem testemunho d’Ele, são fruto da comunhão entre Ele e o Pai.

 

Colóquio final

Pede ao Senhor a graça de a tua vida testemunhar a tua condição de filho ou filha de Deus. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.