Sexta-feira da segunda semana da Quaresma

Hoje é dia dois de março, sexta-feira da segunda semana da Quaresma.

O Senhor busca a nossa vida,
um horizonte de plenitude e de esperança,
no aberto dos dias e das horas.
O seu Espírito está presente em nós,
leve e discreto como uma palavra ou um perfume.
A sua voz foi calada, silenciada com as armas dos poderosos;
mas o Pastor continua a convocar, hoje,
suscitando testemunhas que encarnem a sua palavra
na terra boa do desejo e do amor.
Que a oração seja para ti a escuta desta voz,
conduzindo-te ao testemunho pascal.  

 

Escuta esta passagem do Salmo 104. [Salmo 104 (105), 16-17.18-19.20-21] 

Deus chamou a fome sobre aquela terra
e privou-os do pão que dá o sustento.
Adiante deles enviara um homem:
José vendido como escravo.
Apertaram-lhe os pés com grilhões,
lançaram-lhe ao pescoço uma coleira de ferro,
até que se cumpriu a profecia
e a palavra do Senhor o mostrou inocente.
Então o rei mandou que o soltassem,
o soberano dos povos deu-lhe a liberdade;
e fê-lo senhor da sua casa
e governador de todos os seus domínios. 

 

José, o filho muito-amado do patriarca Jacob, foi vendido como escravo pelos seus irmãos invejosos. Depois, sendo poderoso, salvou-os da fome. É o que faz Jesus contigo e com todos. Deu a vida por cada um, pelos pecadores. 

Quantos homens e mulheres passam hoje pela mesma sorte que José do Egito.  Maltratados, não pagam com injúrias e violência. Jesus continua a viver neles. 
Agradece tantos exemplos, à tua volta, do perdão de Deus. 

A exigência de pagar na mesma moeda o mal que nos fazem continua presente no mundo. É um círculo vicioso de escalada de guerra. E se pagasses o bem que te fazem com um bem sempre maior, à imagem de Jesus inocente?

Termina a tua oração conversando com o Senhor, no teu coração. Usa estas ou outras palavras:
"À frente de cada um de nós, ó Deus, envias o remédio, Jesus, teu Filho e nosso irmão. Faz que os meus olhos nunca se cansem de O olhar, mesmo na noite sem estrelas, no sono da doença ou na luz esplendorosa da alegria". 

 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.