Sexta-feira da sétima semana do tempo comum

Hoje é dia vinte de maio, sexta-feira da sétima semana do tempo comum.

De Diana Rowan estás a escutar When I open my eyes

Há tanta coisa a ocupar a tua imaginação e os teus sentidos... 
Não deixes que isso te perturbe. 
Com simplicidade, 
procura esvaziar a mente e pacificar o teu interior. 
Escolhe algumas palavras que te ajudem a centrar o coração em Deus
e vai-as repetindo ao ritmo da respiração. 
Deixa-te ficar tranquilo, 
pois contas sempre com o auxílio do Espírito Santo. 
Repetindo as palavras que escolheste, começa a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Salmo cento e dois. [Slm 102, 1-4.8-9.11-12] 

Bendiz, ó minha alma, o Senhor
e todo o meu ser bendiga o seu nome santo.
Bendiz, ó minha alma, o Senhor
e não esqueças nenhum dos seus benefícios.
Ele perdoa todos os teus pecados
e cura as tuas enfermidades.
Salva da morte a tua vida
e coroa-te de graça e misericórdia.
O Senhor é clemente e compassivo,
paciente e cheio de bondade.
Não está sempre a repreender
nem guarda ressentimento.
Como a distância da terra aos céus,
assim é grande a sua misericórdia para os que O temem.
Como o Oriente dista do Ocidente,
assim Ele afasta de nós os nossos pecados.  

 

Pontos de oração

Saboreia a presença deste Deus de misericórdia, que afasta para longe os teus pecados e te chama de novo à vida. Pede-Lhe perdão por aquilo que te afasta d’Ele e dos irmãos. E dispõe-te a receber o seu abraço de misericórdia. 

Quem faz experiência de ser perdoado incondicionalmente, pela grandeza do Amor, torna-se capaz de fazer o mesmo com os outros. Para Jesus, o perdão não tem limites. E para ti? Onde tens que levar ainda o teu perdão? Visita os recantos onde tens guardados os ressentimentos e entrega-os a Jesus.

Ao rezares de novo o Salmo, pergunta-te se é esta a imagem que tens de Deus? Ele é para ti o Senhor que perdoa todos os teus pecados e não está sempre a repreender, nem guarda ressentimento? Este é o Deus de Jesus Cristo. É assim o Deus com quem te relacionas? 

 

Colóquio final

Termina a tua oração repetindo várias vezes esta frase do Pai-Nosso: “Perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”…

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.