Sexta-feira da vigésima primeira semana do Tempo Comum

Hoje é dia um de setembro, sexta-feira da vigésima primeira semana do Tempo Comum.

É onde te encontras que podes fazer o bem.
No seio das circunstâncias da tua história,
no caminho aberto do teu futuro,
o Senhor faz-Se presente,
caminha a teu lado,
revela-te o sentido das Escrituras
e parte o pão em tua casa.
Acolhe-O no breve momento de oração
que agora inicias;
e não deixes de habitar na sua casa
durante todos os dias da tua vida.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 25, 1-13] 

Disse Jesus aos seus discípulos a seguinte parábola:
«O reino dos Céus pode comparar-se a dez virgens,
que, tomando as suas lâmpadas, foram ao encontro do esposo.
Cinco eram insensatas e cinco eram prudentes.
As insensatas, ao tomarem as suas lâmpadas,
não levaram azeite consigo,
enquanto as prudentes,
com as lâmpadas, levaram azeite nas almotolias.
Como o esposo se demorava,
começaram todas a dormitar e adormeceram.
No meio da noite ouviu-se um brado:
‘Aí vem o esposo; ide ao seu encontro’.
Então, as virgens levantaram-se todas
e começaram a preparar as lâmpadas.
As insensatas disseram às prudentes:
‘Dai-nos do vosso azeite,
que as nossas lâmpadas estão a apagar-se’.
Mas as prudentes responderam:
‘Talvez não chegue para nós e para vós.
Ide antes comprá-lo aos vendedores’.
Mas, enquanto foram comprá-lo, chegou o esposo:
as que estavam preparadas
entraram com ele para o banquete nupcial;
e a porta fechou-se.
Mais tarde, chegaram também as outras virgens e disseram:
‘Senhor, senhor, abre-nos a porta’.
Mas ele respondeu:
‘Em verdade vos digo: Não vos conheço’.
Portanto, vigiai, porque não sabeis o dia nem a hora». 

 

Pontos de oração

A parábola que Jesus hoje narra tem como objetivo levar a uma maior identificação com o reino dos Céus. Temos dois grupos de pessoas: as insensatas e as prudentes. Quem é insensato descuida a sua vida cristã; quem é prudente cuida dos meios para crescer na fé. Em que grupo te incluis? Ou será que te vês nos dois grupos?

As cinco virgens prudentes que acompanham a cerimónia do casamento mostram-se prevenidas. Trazem consigo óleo para alimentar as lâmpadas, caso a espera do noivo seja demorada. É esta atenção ao imprevisto que as distingue e as identifica com a vigilância. Como está o depósito da tua fé, esperança e serviço? 

Escuta novamente a parábola narrada por Jesus. Imagina-te na cena, coloca-te no papel de uma personagem, deixa-te envolver pela noite esperando a vinda do noivo.
Como te sentes, o que te interpela?

 

Colóquio final

Depois da chegada do noivo, fecham-se as portas. E não voltam a abrir-se. Às vezes, adiamos tanto as resoluções de conversão que nunca transformamos o coração.
Agradece a Deus este tempo de oração e pede-Lhe fortaleza para não deixares escapar as oportunidades.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.