Sexta-feira da vigésima primeira semana do tempo comum

Hoje é dia trinta de agosto, sexta-feira da vigésima primeira semana do tempo comum.

Reza, hoje, como se não houvesse amanhã. Como se não fosses dono do tempo que te é dado – porque, de facto, não és esse dono que pode dispor do tempo conforme lhe apetece. Simplesmente, não sabes nada sobre isso, a não ser que agora desejas estar com o Senhor, em oração. Há uma liberdade grande nesta consciência da tua fragilidade, da impossibilidade de controlares o minuto que passa... entrega tudo ao Senhor, diz-lhe quanto confias na sua bondade, fala-Lhe da tua certeza de estares em boas mãos porque estás nas mãos d’Ele... e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 25, 1-13]

Jesus disse aos seus discípulos a seguinte parábola: «O reino dos Céus pode comparar-se a dez virgens, que, tomando as suas lâmpadas, foram ao encontro do esposo. Cinco eram insensatas e cinco eram prudentes. As insensatas, ao tomarem as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo, enquanto as prudentes, com as lâmpadas, levaram azeite nas almotolias. Como o esposo se demorava, começaram todas a dormitar e adormeceram. No meio da noite ouviu-se um brado: ‘Aí vem o esposo; ide ao seu encontro’. Então, as virgens levantaram-se todas e começaram a preparar as lâmpadas. As insensatas disseram às prudentes: ‘Dai-nos do vosso azeite, que as nossas lâmpadas estão a apagar-se’. Mas as prudentes responderam: ‘Talvez não chegue para nós e para vós. Ide antes comprá-lo aos vendedores’. Mas, enquanto foram comprá-lo, chegou o esposo: as que estavam preparadas entraram com ele para o banquete nupcial; e a porta fechou-se. Mais tarde, chegaram também as outras virgens e disseram: ‘Senhor, senhor, abre-nos a porta’. Mas ele respondeu: ‘Em verdade vos digo: Não vos conheço’. Portanto, vigiai, porque não sabeis o dia nem a hora».

O noivo demora em chegar. Algumas jovens convidadas adormecem, distraem-se e não se preparam, enquanto outras estão ansiosamente à espera. O noivo, o próprio Jesus, vem quando menos esperas, vem a qualquer hora, vem sempre, continuamente. Na vida, há quem esteja preparado para O receber e quem esteja distraído, atarefado e desinteressado.

Jesus não previne quando chega. Mas acredita que Ele vem quando mais precisas. Porque Ele é quem te salva, sabe tudo da tua história e quer consolar-te. Mas se tu não tiveres interesse nessa conversa, Ele respeita-te e segue o seu caminho sem te forçar.

Vais ouvir mais uma vez o texto do Evangelho. Vais sentir pena de não ter estado com atenção à passagem do Senhor, vais perceber que Ele veio porque te ama e te quer ajudar. E principalmente vais perceber que não podes prescindir de Jesus, que não és tu que te salvas, mas é Ele e só Ele o teu Salvador.

Reconhecerás que muitas vezes desconfias de Deus, que te sentes superior a Ele. Mas, hoje, vais arranjar tempo para te sentares com Jesus num lugar sossegado. E vais ver com ELE a razão pela qual não prestaste atenção à sua passagem quando humildemente te quis servir.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.