Sexta-feira, memória litúrgica de Nossa Senhora das Dores

Hoje é dia quinze de setembro, sexta-feira, memória litúrgica de Nossa Senhora das Dores.

É estranha a história da Humanidade que vivemos,
na qual há mães a ver os seus filhos morrer.
É estranha esta história da Humanidade
na qual os braços das mães
suportam os corpos inertes e entregues
das suas filhas e filhos martirizados.
Acolhe na tua oração
os dramas e sofrimentos desta Humanidade ferida
a que pertencemos;
e deixa-os converter o teu coração
à imagem do coração da Mãe de Jesus.
Começa assim a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São João. [Ev Jo 19, 25-27] 

Estavam junto à cruz de Jesus
sua Mãe, a irmã de sua Mãe,
Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena.
Ao ver sua Mãe e o discípulo predileto,
Jesus disse a sua Mãe:
«Mulher, eis o teu filho».
Depois disse ao discípulo:
«Eis a tua Mãe».
E a partir daquela hora,
o discípulo recebeu-a em sua casa. 

 

Pontos de oração

Como Mãe, Maria experimenta na pele a dor de quem perde um filho. Não perde a confiança, deixa-se confortar por João. 
Confia a Maria alguma das tuas dores ou a dor de alguma pessoa que seja importante para ti.  

Ao dar-nos Maria como Mãe, Jesus oferece-nos mais do que consolo: mostra-nos como podemos percorrer o caminho do “sem-sentido”, não deixando que a escuridão seja mais forte do que a luz que Maria nos oferece.
Acolhe com gratidão esta Mãe que Jesus te dá.

Ao ouvires de novo o Evangelho de João, toma consciência de como, mesmo no momento de dor, Jesus continua centrado no bem dos outros. 

 

Colóquio final

Termina a oração rezando por todas as pessoas que sofreram perdas particularmente dolorosas na sua vida. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.