Sexta-feira, memória litúrgica de Santa Clara

Hoje é dia onze de agosto, sexta-feira, memória litúrgica de Santa Clara.

Hoje, a Igreja celebra a memória de Santa Clara de Assis,
que caminhou ao lado de São Francisco
no enamoramento pelo Pobre de Nazaré.
Hoje, começa a tua oração
com estas suas palavras de rara beleza:
«Feliz de quem pode unir-se intimamente
ao coração de Cristo,
cujo afeto atrai os corações,
cuja contemplação nos reconforta,
cuja benignidade nos sacia,
cuja suavidade enche a alma,
cuja lembrança nos inunda de luz suave,
cuja fragrância ressuscita os mortos».

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 16, 24-28] 

Disse Jesus aos seus discípulos:
«Se alguém quiser seguir-Me, renuncie a si mesmo,
tome a sua cruz e siga-Me.
Pois quem quiser salvar a sua vida há de perdê-la;
mas quem perder a sua vida por minha causa,
há de encontrá-la.
Na verdade, que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro,
se perder a sua vida?
Que poderá dar o homem em troca da sua vida?
O Filho do homem há de vir na glória de seu Pai,
com os seus Anjos,
e então dará a cada um segundo as suas obras.
Em verdade vos digo:
Alguns dos que estão aqui presentes não morrerão,
antes de verem chegar o Filho do homem na glória do seu reino». 

 

Pontos de oração

O mundo impõe, a cada instante, a sua lógica e os seus critérios. Hoje és julgado por ele em função do poder, da rapidez, da eficácia, da produtividade, da rentabilidade, da aparência e da fama. Onde está o Reino de Deus nesta lógica? 
Vives neste mundo, mas não é por cresceres e viveres nele que precisas de aceitar e concordar com tudo o que a sua lógica tenta impor como sendo o melhor. Olha em volta e questiona o sentido do que fazes e da forma como o fazes: onde está a tua felicidade? 

Jesus precedeu-te na sua entrega e com ela mostrou-te que é perdendo, ou seja, gastando e consumindo a tua vida, por amor ao Pai, que a encontras plenamente. Aqui, não é no muito poupar que está o ganho, mas no muito oferecer e entregar de si. 
Pensa nisto e no que significa para ti salvares a tua alma.  

Ao escutares de novo o Evangelho de Mateus, entrega ao Senhor a tua cruz, os seus pesos, principalmente aqueles que sentes com maior intensidade, para que Ele os possa suportar contigo.

 

Colóquio final

Termina a tua oração relembrando e acolhendo outras palavras que Jesus também te dirige: «o meu jugo é suave e o meu fardo é leve». Leva esta certeza e segue sereno, porque o Senhor está sempre contigo, seja qual for a missão que te confia.  

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.