Solenidade do Pentecostes

Hoje, a Igreja celebra a solenidade do Pentecostes. 

Nos cinquenta dias que formam o Tempo Pascal,
eis que chegamos à celebração do Pentecostes.
É do Espírito de Deus que falamos,
através dos símbolos e imagens mais vitais
como a água, a respiração, o fogo.
Permite que a sua presença
renove o teu ser e a tua vida, na graça e na beleza,
em comunhão com todos os teus irmãos.

 

Vais ouvir um salmo de louvor à grandeza de Deus. Um salmo que diz como são grandes as obras do Senhor. 

[Salmo 97 (98), 1.2-3ab.3cd-4]
Bendiz, ó minha alma, o Senhor.
Senhor, meu Deus, como sois grande!
Como são grandes, Senhor, as vossas obras!
A terra está cheia das vossas criaturas.

Se lhes tirais o alento, morrem
e voltam ao pó donde vieram.
Se mandais o vosso espírito, retomam a vida
e renovais a face da terra.

Glória a Deus para sempre!
Rejubile o Senhor nas suas obras.
Grato Lhe seja o meu canto,
e eu terei alegria no Senhor. 

 

Há uma ideia que o salmo repete: que as obras do Senhor são magníficas.
Pensa que és o salmista e contempla, deliciado, as obras do Criador. E louva muito o Senhor por isso. 

O salmo de hoje diz que as obras da criação são sustentadas pelo sopro de Deus. O que significa isso na tua vida? 
Tu vives do sopro de Deus. Tu vives da vida que Deus infundiu em ti. Tu vives da vida de Deus. Por isso, tens uma força imensa dentro de ti. Nunca te esqueças disso nas alturas em que te sentes mais débil. E, neste momento, agradece isso a Deus.

Ao ouvires o salmo outra vez, acompanha o salmista, calmamente, ritmadamente, no seu louvor a Deus. 

Achas que podes sentir até ao fundo de ti mesmo o amor pela criação? Inspira e pede a Deus um amor muito fundo pelas criaturas. 

 

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.