Solenidade do Sagrado Coração de Jesus

Hoje é dia três de junho, sexta-feira, Solenidade do Sagrado Coração de Jesus. 

Diz São Paulo que a nossa pátria é o Reino dos Céus e que a nossa vida já está escondida com Cristo em Deus. N’Ele já ressuscitamos e estamos já na vida eterna. 
Esta certeza que São Paulo te dá mostra que Jesus está sempre contigo e te acompanha a cada passo da tua vida. Significa que estás a caminho, em direção à tua morada definitiva, e que Cristo faz estrada contigo. Sempre! 
Com esta certeza, vale a pena começares a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Marcos. [Ev Lc 15, 3-7]

Disse Jesus aos fariseus e aos escribas a seguinte parábola:
«Quem de vós, que possua cem ovelhas
e tenha perdido uma delas,
não deixa as outras noventa e nove no deserto,
para ir à procura da que anda perdida, até a encontrar?
Quando a encontra, põe-na alegremente aos ombros
e, ao chegar a casa,
chama os amigos e vizinhos e diz-lhes:
‘Alegrai-vos comigo,
porque encontrei a minha ovelha perdida’.
Eu vos digo:
Assim haverá mais alegria no Céu
por um só pecador que se arrependa,
do que por noventa e nove justos,
que não precisam de arrependimento».

 

Pontos de oração

Celebramos hoje a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus. É em Jesus que as nossas fragilidades, preocupações e inquietações encontram um repouso tranquilo. 
És convidado a dar ao Senhor aquilo que tens e és, de bom e de mau, na verdade de ti mesmo. Só Ele é o pastor que te conduz a prados verdejantes. 

Jesus, bom pastor, vem e procura a ovelha perdida. Reconduz a que anda tresmalhada, trata a que está ferida e dá vigor à que anda enfraquecida. Na preocupação com o seu rebanho, esmera-Se no cuidado com cada uma delas. 
A ação salvadora de Jesus na tua vida tem a marca da gratuidade do amor e da ternura.

O bom pastor é capaz de deixar noventa e nove ovelhas por uma que se perde, está disposto a entrar nos perigos do deserto para a ir resgatar. 
Enquanto escutas novamente o Evangelho, pensa como a lógica do coração de Jesus tem como fundamento único o amor.

 

Colóquio final

Mesmo no meio das dificuldades, os frutos do encontro com o coração de Jesus traduzem-se na alegria que dá sentido à vida e no entusiasmo com que se assume a identidade cristã. 
Conclui esta oração pedindo a graça de um coração parecido com o de Jesus. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.