Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo

Hoje, a Igreja celebra a Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo. 

A realidade do que somos e do que fazemos
atravessa os sinais, os gestos e as marcas
que habitam o real.
Mas a vitalidade do amor e da graça,
do corpo e da comunhão,
do sangue e da vida
estão para lá do que os nossos olhos veem
e do que as nossas mãos tocam.
Hoje, na solenidade do Corpo e Sangue do Senhor,
abre os teus sentidos, a tua mente e o teu coração
a este Alimento, cujo mistério não podemos dominar ou controlar:
é puro dom que nos envolve e recria. 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Marcos. [Ev Mc 14,12-16.22-26]

No primeiro dia dos Ázimos,
em que se imolava o cordeiro pascal,
os discípulos perguntaram a Jesus:
«Onde queres que façamos os preparativos
para comer a Páscoa?»
Jesus enviou dois discípulos e disse-lhes:
«Ide à cidade.
Virá ao vosso encontro um homem com uma bilha de água.
Segui-o e, onde ele entrar, dizei ao dono da casa:
«O Mestre pergunta: Onde está a sala,
em que hei de comer a Páscoa com os meus discípulos?»
Ele vos mostrará uma grande sala no andar superior,
alcatifada e pronta.
Preparai-nos lá o que é preciso».
Os discípulos partiram e foram à cidade.
Encontraram tudo como Jesus lhes tinha dito
e prepararam a Páscoa.
Enquanto comiam, Jesus tomou o pão,
recitou a bênção e partiu-o,
deu-o aos discípulos e disse:
«Tomai: isto é o meu corpo».
Depois tomou um cálice, deu graças e entregou-lho.
E todos beberam dele.
Disse Jesus:
«Este é o meu sangue, o sangue da nova aliança,
derramado pela multidão dos homens.
Em verdade vos digo:
Não voltarei a beber do fruto da videira,
até ao dia em que beberei do vinho novo no reino de Deus».
Cantaram os salmos e saíram para o monte das Oliveiras. 

 

Procura entrar nos sentimentos de Jesus neste momento, em que se faziam os preparativos para a Ceia Pascal, que viria a ser a sua Última Ceia.
Como desejava ardentemente celebrar a Ceia com os seus amigos! Tinha tanta coisa para partilhar com eles. E tanto para lhes dizer. Aquela era uma noite especial.  

Naquela noite especial, Jesus deixou aos seus discípulos uma herança, um sinal da sua Aliança connosco: a Eucaristia. «Tomai e comei. Sou Eu. Tomai e bebei. Sou Eu».
Cada vez que celebras a Eucaristia, tomas consciência desta Aliança? Agradeces esta herança? Comprometes-te a fazer memória d’Ele, na vida, na entrega, no serviço, no Amor? 

Ouve de novo o relato da preparação da Ceia e da Instituição da Eucaristia. Imagina, à medida que ouves: o que fazem os discípulos? Que conversas têm? Imagina os preparativos e o ambiente da Ceia. Ouve o que Jesus diz. Vê o que faz. 

 

Se ainda te for possível, procura hoje um momento para rezar diante da Eucaristia, na procissão que se organiza na tua cidade ou nalguma Igreja.
Adora o Senhor que Se faz Pão. Agradece a sua humildade e simplicidade. Pede-Lhe a Graça de também te saberes entregar e partir, para que outros tenham vida. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.