Solenidade litúrgica do nascimento de São João Batista

Hoje é dia vinte e quatro de junho, sexta-feira, solenidade litúrgica do nascimento de São João Batista. 

São João Batista dizia que era o amigo do noivo. Num casamento, o amigo do noivo não tira protagonismo ao noivo, mas procura que seja ele o centro das atenções e que todos o vejam e admirem. Foi assim a vida de São João Batista: percebeu que o centro da sua vida não era ele, mas o Senhor. Então quis ser um dedo a apontar para Cristo, para que a sua vida levasse os outros até Deus. 
Pede ao Senhor um coração centrado n’Ele. Assim, vale a pena começares a tua oração. 

 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 1, 57-66.80]

Chegou a altura de Isabel ser mãe e deu à luz um filho. 
Os seus vizinhos e parentes souberam
que o Senhor lhe tinha feito tão grande benefício
e congratularam-se com ela.
Oito dias depois, vieram circuncidar o menino
e queriam dar-lhe o nome do pai, Zacarias.
Mas a mãe interveio e disse:
«Não, Ele vai chamar-se João».
Disseram-lhe:
«Não há ninguém da tua família que tenha esse nome». 
Perguntaram então ao pai, por meio de sinais,
como queria que o menino se chamasse.
O pai pediu uma tábua e escreveu:
«O seu nome é João».
Todos ficaram admirados.
Imediatamente se lhe abriu a boca e se lhe soltou a língua
e começou a falar, bendizendo a Deus.
Todos os vizinhos se encheram de temor
e por toda a região montanhosa da Judeia
se divulgaram estes factos.
Quantos os ouviam contar
guardavam-nos em seu coração e diziam:
«Quem virá a ser este menino?».
Na verdade, a mão do Senhor estava com ele.
O menino ia crescendo e o seu espírito fortalecia-se.
E foi habitar no deserto
até ao dia em que se manifestou a Israel.

 

Pontos de oração

As pressões sociais apontavam todas numa direção. Mas Isabel soube ser contracorrente e manter a posição: «Não, ele vai chamar-se João», disse. Depois, Zacarias confirmou.
Isto faz pensar nas vezes em que todos à tua volta apontam para um lado e tu sentes que deves ir para outro. Traz à memória uma dessas situações.

Quem és tu e quem virás a ser? Só Deus sabe, mas tu já podes intuir. Deixa que a mão do Senhor te acompanhe. Precisarás dela, seja no deserto, seja onde a vida te levar.

“Congratularam-se”..., “admiraram-se”..., “espantaram-se”... 
Enquanto ouves de novo o Evangelho, repara nas emoções que o texto expressa. São emoções próprias de quem se aventura a fazer caminho com Deus.

 

Colóquio final

Pede ao Senhor a graça de guardares no coração os factos mais relevantes da tua história com Deus. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.