DOMINGO XXXIII DO TEMPO COMUM

Hoje é dia 18 de novembro, trigésimo terceiro domingo do tempo comum, Dia Mundial dos Pobres.

Hoje, a Igreja assinala o Dia Mundial das Pobres. É uma iniciativa do Papa Francisco, destinada a trazer os pobres para o centro da vida da Igreja. Diz o Papa:

Os pobres evangelizam-nos, ajudando-nos a descobrir cada dia a beleza do Evangelho. Não deixemos cair em saco roto esta oportunidade de graça. Neste dia, sintamo-nos todos devedores para com eles, a fim de que, estendendo reciprocamente as mãos uns para os outros, se realize o encontro salvífico que sustenta a fé, torna concreta a caridade e habilita a esperança a prosseguir segura no caminho rumo ao Senhor que vem”.

Disponível para esta partilha de dons com aqueles que talvez julgasses nada terem para te dar, dá início à tua oração.

O salmista sente que Deus é não só a melhor parte da sua herança, como também o senhor do seu destino. Por isso canta:

[Salmo 15 (16)]

Senhor, porção da minha herança e do meu cálice,
está nas vossas mãos o meu destino.
O Senhor está sempre na minha presença,
com Ele a meu lado não vacilarei.

Por isso o meu coração se alegra e a minha alma exulta
e até o meu corpo descansa tranquilo.
Vós não abandonareis a minha alma na mansão dos mortos,
nem deixareis o vosso fiel sofrer a corrupção.

Dar-me-eis a conhecer os caminhos da vida,
alegria plena em vossa presença,
delícias eternas à vossa direita.

Deixa ecoar dentro de ti estas palavras:

- Senhor, … está nas vossas mãos o meu destino.

- O Senhor está sempre na minha presença, com Ele a meu lado não vacilarei.

- Por isso o meu coração se alegra e a minha alma exulta e até o meu corpo descansa tranquilo.

- Dar-me-eis a conhecer os caminhos da vida, alegria plena em vossa presença…

Pensa no teu futuro. Deus está sempre a teu lado. Percebes que, com Ele, não vais vacilar, aconteça o que acontecer?
Experimenta a paz que esta certeza te dá: o teu coração alegra-se, todo o teu ser se alegra e até o teu corpo fica mais tranquilo…

Repete com o salmista estas palavras de confiança absoluta em Deus. Reza-as, pensando naqueles que se sentem sem forças para rezar, confrontados com as mais variadas situações de sofrimento e marginalização.

Pede ao Senhor que te dê a “conhecer os caminhos da vida”. Que te faça olhar à tua volta e reparar em quem está “à beira da estrada” e precisa de ti.

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.