Terça-feira da décima primeira semana do Tempo Comum

Hoje é dia catorze de junho, terça-feira da décima primeira semana do Tempo Comum.

Toma consciência do ar que respiras. 
Olha à tua volta. 
Pensa nas pessoas que te são mais próximas, na tua família, nos teus amigos... 
Recorda-te que a tua vida é um dom de Deus. Um dom para ti e para os outros. 
Agradece-Lhe porque te chama à vida, e à vida em abundância. 
Assim, vale a pena começares a tua oração. 

 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 5, 43-48]

Disse Jesus aos seus discípulos:
«Ouvistes que foi dito:
‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo’.
Eu, porém, digo-vos:
Amai os vossos inimigos
e orai por aqueles que vos perseguem,
para serdes filhos do vosso Pai que está nos Céus;
pois Ele faz nascer o sol sobre bons e maus
e chover sobre justos e injustos.
Se amardes aqueles que vos amam, que recompensa tereis? 
Não fazem a mesma coisa os publicanos?
E se saudardes apenas os vossos irmãos,
que fazeis de extraordinário?
Não o fazem também os pagãos?
Portanto, sede perfeitos,
como o vosso Pai celeste é perfeito».

 

Pontos de oração

Jesus contrapõe a sabedoria baseada nos instintos humanos com a sabedoria de Deus. Podes não ter verdadeiros inimigos, mas há, com certeza, pessoas de quem não gostas tanto e com quem te é difícil conviver. Será possível desejares o bem delas? 

O Pai celeste faz nascer o sol sobre bons e sobre injustos, a sua bondade não se restringe a apenas alguns, é para todos. Sem exceção. 
Para além de desejares o bem daqueles a quem instintivamente te seria mais difícil, consegues pensar em algo que poderias fazer em seu favor?

Vais escutar de novo o Evangelho. Repara como o Senhor te desafia a seres “perfeito, como o vosso Pai celeste é perfeito”. Recorda-te sempre que Deus é Amor... Qual é a perfeição do Amor?

 

Colóquio final

O amor deve ser posto mais nas obras do que nas palavras. Como filhos de Deus e seguidores do seu Filho Jesus Cristo, somos desafiados a manifestar o seu amor por cada pessoa. Não o fazemos por nós mesmos, mas pelo Pai. Um sorriso, um gesto, um silêncio… há muitas formas de amar, até as pessoas a quem nos é mais difícil. Como o podes fazer hoje?

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.