Terça-feira da oitava da Páscoa

Hoje é dia vinte e três de abril, terça-feira da oitava da Páscoa.

Desde muito cedo, os cristãos entenderam não poder reservar apenas um dia para celebrar a alegria da Páscoa. Os dias que vão do domingo de Páscoa até ao domingo seguinte tornaram-se um único grande dia pascal: a “oitava da Páscoa”. Hoje tudo passa mais rápido e até a Páscoa corre o risco de passar despercebida a muitos cristãos. Não deixes que isso te aconteça. Conserva no teu coração a alegria pascal, mesmo no meio dos teus afazeres quotidianos. Leva contigo esta alegria para onde quer que vás... e com este desejo começa a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São João. [Ev Jo 20, 11-18]

Maria Madalena estava a chorar junto do sepulcro. Enquanto chorava, debruçou-se para dentro do sepulcro e viu dois Anjos vestidos de branco, sentados, um à cabeceira e outro aos pés, onde estivera deitado o corpo de Jesus. Os Anjos perguntaram a Maria: «Mulher, porque choras?» Ela respondeu-lhes: «Porque levaram o meu Senhor e não sei onde O puseram». Dito isto, voltou-se para trás e viu Jesus de pé, sem saber que era Ele. Disse-lhe Jesus: «Mulher, porque choras? A quem procuras?» Pensando que era o jardineiro, ela respondeu-Lhe: «Senhor, se foste tu que O levaste, diz-me onde O puseste, para eu O ir buscar». Disse-lhe Jesus: «Maria!» Ela voltou-se e respondeu em hebraico: «Rabuni!», que quer dizer: «Mestre!» Jesus disse-lhe: «Não Me detenhas, porque ainda não subi para o Pai. Vai ter com os meus irmãos e diz-lhes que vou subir para o meu Pai e vosso Pai, para o meu Deus e vosso Deus». Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: «Vi o Senhor». E contou-lhes o que Ele lhe tinha dito.

A aparição a Madalena. Segundo São João, ela é a primeira pessoa a quem o Ressuscitado se faz ver. São os que amam, esperam e choram com as injustiças e prepotências que têm olhos para ver o que os olhos da cara não veem. Ela reconhece-O pela maneira próxima e amiga como Ele a chama pelo seu nome. Que sinais tens da maneira única como Jesus te trata, consola e envia?

Não te agarres à consolação que vem do Senhor. Ela é para te dar força… Ainda tens uma missão: "Vai dizer aos meus irmãos que estou vivo!" Como anda a tua intimidade com Cristo vivo?

Escuta bem a narrativa deste encontro pessoal. Porque é por encontros pessoais (em que Cristo Se faz ver!) que a tua vida se transforma e percebes a tua vocação: a tua missão neste mundo concreto.

Para terminar, pensa nas pessoas que conheces, agarradas às consolações imediatas e materiais, mas que tanto precisavam de se abrir à voz interior do Espírito e arriscar ir ao encontro dos mais fracos. Reza por ti e por elas.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.