Terça-feira da primeira semana da Quaresma

Hoje é dia vinte de fevereiro, terça-feira da primeira semana da Quaresma.

Estás prestes a iniciar o teu momento de oração.
Vive-o na sua gratuidade. 
Não busques agradar nas palavras
Àquele que conhece o íntimo do teu coração,
não como um juiz que tudo controla, 
mas como um Pai que te viu nascer
e te vê crescer.
Permite, por um breve silêncio,
que o Mistério se manifeste no teu dia. 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 6, 7-15]

Disse Jesus aos seus discípulos:
«Quando orardes,
não digais muitas palavras, como os pagãos,
porque pensam que serão atendidos por falarem muito.
Não sejais como eles,
porque o vosso Pai bem sabe do que precisais,
antes de vós Lho pedirdes.
Orai assim:
‘Pai nosso, que estais nos Céus,
santificado seja o vosso nome;
venha a nós o vosso reino;
seja feita a vossa vontade assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje;
perdoai-nos as nossas ofensas,
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido;
e não nos deixeis cair em tentação,
mas livrai-nos do mal’.
Porque se perdoardes aos homens as suas faltas,
também o vosso Pai celeste vos perdoará.
Mas se não perdoardes aos homens,
também o vosso Pai não vos perdoará as vossas faltas». 

 

É com poucas palavras que Jesus te ensina a orar. A oração não se reduz à quantidade: tem mais a ver com a qualidade, com a intensidade da relação, com o deixares-te acolher por Deus. Jesus ensina os discípulos a rezar, chamando Pai a Deus: é assim também que Jesus reza. Esta oração é breve: o Pai já está atento ao filho, para o socorrer em todas as circunstâncias.

A oração que Jesus ensina aos discípulos é constituída por sete petições. Para as rezares, precisas de reconhecer que Deus é Pai de todos e que Ele te conduz pelo melhor caminho e te protege. E precisas de reconhecer a tua fraternidade com todos, perdoando assim como o Pai te perdoa. 
Que consequências tem para ti uma relação filial com Deus? 

Escuta pela segunda vez o Evangelho. A tónica é colocada no perdão. Apesar das tuas limitações, Deus toma a iniciativa de sair ao teu encontro. Se acolhes realmente o perdão do Pai, tornas-te também uma pessoa de perdão. 
Em que circunstâncias concretas te é pedido que saibas dar e acolher o perdão? 

Pede a graça de saberes dizer o Pai-nosso com a vida, fazendo da tua vida uma contínua oração. 

 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.