Terça-feira da primeira semana do Tempo Comum

Hoje é dia nove de janeiro, terça-feira da primeira semana do Tempo Comum.

Após as celebrações do tempo do Natal,
eis que, em Igreja, iniciamos o Tempo Comum.
É o Tempo no qual a liturgia nos apresenta
a vida pública de Jesus, o seu ministério,
a beleza das suas parábolas e ensinamentos,
a força simbólica dos seus gestos e sinais
e o difícil caminhar dos seus discípulos.
Permite também que a tua oração seja comum e quotidiana,
e segue o teu Senhor, depois d’Ele, junto d’Ele,
enviado por Ele. 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Marcos. [Ev Mc 1, 21b-28]

Jesus chegou a Cafarnaum
e quando, no sábado seguinte, entrou na sinagoga e começou a ensinar,
todos se maravilhavam com a sua doutrina,
porque os ensinava com autoridade e não como os escribas.
Encontrava-se na sinagoga um homem com um espírito impuro,
que começou a gritar:
«Que tens Tu a ver connosco, Jesus Nazareno?
Vieste para nos perder?
Sei quem Tu és: o Santo de Deus».
Jesus repreendeu-o, dizendo:
«Cala-te e sai desse homem».
O espírito impuro, agitando-o violentamente,
soltou um forte grito e saiu dele.
Ficaram todos tão admirados, que perguntavam uns aos outros:
«Que vem a ser isto?
Uma nova doutrina, com tal autoridade,
que até manda nos espíritos impuros e eles obedecem-Lhe!».
E logo a fama de Jesus se divulgou por toda a parte,
em toda a região da Galileia. 

 

«Que tens Tu a ver connosco, Jesus Nazareno?», diziam os espíritos impuros.
«Que tens Tu a ver comigo?». Não dirás tu também isto a Jesus, afastando-O da tua vida?

Será que, às vezes, sentes que Jesus te faz perder? Que ser cristão é demasiado difícil… Que Ele te pede demasiado? 
As vozes que te fazem sentir assim não virão do mau espírito, que te conduz a caminhos de menos? 

Ouve de novo a leitura do Evangelho e repara na forma como Jesus lida com firmeza com o mau espírito.

 

Pede a Jesus que te dê a sua firmeza nos momentos em que experimentas e tua fragilidade e a desilusão. Pede-lhe que sustenha a tua Fé.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.