Terça-feira da quinta semana da quaresma

Hoje é dia nove de abril, terça-feira da quinta semana da quaresma.

“Ouvi, Senhor, a minha oração, chegue até vós o meu clamor...” Começa a tua oração com estas palavras do salmista. São palavras de alguém que experimenta o abandono de Deus no mais profundo da sua vida e que, apesar disso, não deixa de rezar. É fácil sentir-se assim, abandonado, mesmo quando se reza todos os dias: a oração parece não servir para nada..., o mal continua a parecer o mais forte..., coisas más continuam a acontecer a pessoas boas... Nestas ocasiões, importa reforçar a resistência interior, pedir a virtude da esperança que não desilude, insistir com Deus na oração confiante. Hoje, dá lugar a esta certeza na presença de Deus e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São João. [Ev Jo 8, 25-30]

Os judeus perguntaram a Jesus: «Quem és Tu?» Respondeu-lhes Jesus: «Absolutamente aquilo que vos digo. Tenho muito que dizer e julgar a respeito de vós. Mas Aquele que Me enviou é verdadeiro e Eu comunico ao mundo o que Lhe ouvi». Eles não compreenderam que lhes falava do Pai. Disse-lhes então Jesus: «Quando levantardes o Filho do homem, então sabereis que ‘Eu sou’ e que por Mim nada faço, mas falo como o Pai Me ensinou. Aquele que Me enviou está comigo: não Me deixou só, porque Eu faço sempre o que é do seu agrado». Enquanto Jesus dizia estas palavras, muitos acreditaram n’Ele.

Pontos de oração

Jesus diz-nos que faz sempre aquilo que é do agrado do Pai. Nós sabemos como é difícil fazer sempre a vontade de Deus mas vamos tentando. Tu tentas? Às vezes, o problema é pensares que a vontade de Deus é o mais difícil, o que custa mais. Umas vezes será, outras não. Outras vezes, será uma coisa que te dará uma grande alegria.

Se sentes que a vontade de Deus custa demais a realizar, talvez não seja a vontade de Deus, porque Deus não te pede nada que vá além das tuas forças. Mas, às vezes, é bom experimentares os teus limites. No entanto, só quando isso se justifica. É uma maneira de cresceres. Queres pôr essas batalhas na mão de Deus?

Ao escutares o Evangelho pela segunda vez, presta particular atenção à frase de Jesus: «Aquele que Me enviou é verdadeiro e eu comunico ao mundo o que Lhe ouvi».

Tens alguma coisa em mãos que te pareça muito difícil? Uma relação, um trabalho, um problema de saúde, um desafio… Pede ao Pai que te dê força e calma, como deu a Jesus no horto.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.