Terça-feira da segunda semana do tempo pascal

Hoje é dia trinta de abril, terça-feira da segunda semana do tempo pascal.

Durante alguns momentos, deixa que o silêncio se instale no teu interior. Respira devagar e vai sentindo como isso te acalma e te permite ficar interiormente mais disponível para a presença de Deus, em ti e à tua volta. Cuida destes momentos iniciais da tua oração como o pássaro cuida do ninho: com gentileza, devagar, dando tempo para o que é verdadeiramente importante. Diz ao Senhor: “Meu Deus, aqui estou. O meu desejo é ficar contigo.” E começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São João. [Ev Jo 3, 7b-15]

Jesus disse a Nicodemos: «Não te admires por Eu te haver dito que todos devem nascer de novo. O vento sopra onde quer: ouves a sua voz, mas não sabes donde vem nem para onde vai. Assim acontece com todo aquele que nasceu do Espírito». Nicodemos perguntou: «Como pode ser isso?» Jesus respondeu-lhe: «Tu és mestre em Israel e não sabes estas coisas? Em verdade, em verdade te digo: Nós falamos do que sabemos e damos testemunho do que vimos, mas vós não aceitais o nosso testemunho. Se vos disse coisas da terra e não acreditais, como haveis de acreditar, se vos disser coisas do Céu? Ninguém subiu ao Céu, senão Aquele que desceu do Céu: o Filho do homem. Assim como Moisés elevou a serpente no deserto, também o Filho do homem será elevado, para que todo aquele que acredita tenha n’Ele a vida eterna».

Todos devem nascer de novo, disse Jesus. E quase sempre pensamos que é nascer “outra vez”. Mas trata-se de fazer, pensar e agir de “uma maneira nova”: a partir do Espírito; deixar-se conduzir por esse Vento de Deus. Não ser levado por outros ventos, modos e critérios mundanos que nos fecham na ganância ou na depressão. Tens de nascer de novo!

Quem te conduz? A quem segues? Nicodemos foi procurar Jesus, de noite, às escuras, em desolação. E tu, como e quando O procuras?

Escuta de novo o Evangelho. Fixa-te nas palavras finais de Jesus e ouve-as com o coração. É d'Ele, elevado na cruz, que deves esperar, como única fonte, a paz e a alegria.

Agradece estes momentos de oração e pede a graça de ajudar os outros a nascer de novo, a olhar para a vida com olhos novos.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.