Terça-feira da terceira semana do tempo pascal

Hoje é dia sete de maio, terça-feira da terceira semana do tempo pascal.

A oração é o ato de confiança mais radical. É por isso que, em tempos de desconfiança e incerteza, pode não ser fácil rezar. Nestas ocasiões, apetece perguntar a Jesus: “Que fazes Tu, para que acredite em Ti?” Se te sentes assim, entrega ao Senhor a tua perturbação e as tuas dúvidas, e pede-Lhe que seja Ele a trazer paz ao teu dia. Mas se te encontras em paz com o Senhor, agradece-Lhe por tantos bens recebidos e pede-Lhe que te fortaleça para os tempos difíceis que sempre hão de vir. E começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São João. [Ev Jo 6, 30-35]

A multidão disse a Jesus: «Que milagres fazes Tu, para que nós vejamos e acreditemos em Ti? Que obra realizas? No deserto os nossos pais comeram o maná, conforme está escrito: ‘Deu-lhes a comer um pão que veio do céu’». Jesus respondeu-lhes: «Em verdade, em verdade vos digo: Não foi Moisés que vos deu o pão que vem do Céu; meu Pai é que vos dá o verdadeiro pão que vem do Céu. O pão de Deus é o que desce do Céu para dar a vida ao mundo». Disseram-Lhe eles: «Senhor, dá-nos sempre desse pão». Jesus respondeu-lhes: «Eu sou o pão da vida: quem vem a Mim nunca mais terá fome, quem acredita em Mim nunca mais terá sede».

O texto de S. João mostra-nos que o coração humano deseja sempre encontrar respostas para a fome e sede de Deus. Jesus é o enviado do Pai, o pão que pode saciar a tua fome.

Jesus disse: “O meu Pai vos dá o verdadeiro pão do Céu”. Será que já tomaste consciência disto? De que forma vês este pão? Queres que ele te sacie, ou procuras outras formas de alimento?

Ouve novamente o Evangelho e pensa quantas vezes te sentes sem a força espiritual que só o Senhor te pode dar. Reza e pede-Lhe esta força.

No fim desta oração, pede confiadamente a Deus que te conceda a graça da fortaleza interior, para procurares fazer em tudo a sua vontade. E neste fazer a vontade de Deus, vai certamente a alegria de viveres a vocação a que Ele te chamou, seja no sacerdócio, na vida consagrada ou em alguma das inúmeras expressões do ser cristão leigo, testemunhando no mundo a alegria do Evangelho.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.