Terça-feira da vigésima nona semana do Tempo Comum

Hoje é dia vinte e quatro de outubro, terça-feira da vigésima nona semana do Tempo Comum.

O Senhor conhece-nos no nosso íntimo,
na mais profunda verdade do nosso ser;
por isso as palavras podem tornar-se repetitivas,
uma distração diante do que nos habita.
Permite que as palavras ajudem a estimular
e compreender melhor o que pedes ao Senhor,
mas não as utilizes para forçar a sua vontade.
Começa assim a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 12, 35-38]

Disse Jesus aos seus discípulos:
«Tende os rins cingidos e as lâmpadas acesas.
Sede como homens
que esperam o seu senhor voltar do casamento,
para lhe abrirem logo a porta, quando chegar e bater.
Felizes esses servos, que o senhor, ao chegar,
encontrar vigilantes.
Em verdade vos digo:
cingir-se-á e mandará que se sentem à mesa
e, passando diante deles, os servirá.
Se vier à meia-noite ou de madrugada
felizes serão se assim os encontrar». 

 

Pontos de oração

O Senhor quer que estejas de atalaia. Vigia, pois os teus dias não são eternos. Ao fim de cada dia, faz um balanço breve. Reconcilia-te com Deus por cada erro teórico ou prático e, mesmo com essas falhas, estreita os teus laços de amor com esse Deus que te vai sendo cada vez mais indispensável.

Admira-te: tu vais sendo cada vez mais indispensável para o teu Deus! Ele não quer uma eternidade sem ti. Tem gosto em cingir-Se, ou seja, aprontar-Se para te servir à mesa, depois de te sentares: Ele, que é Deus, servindo-te a ti, que és o que és. Não é de enlouquecer?

A que horas julgas que o Senhor virá para ti? Não sabes, ninguém sabe. Será no melhor momento, quando estiveres melhor preparado. O Senhor quer que seja no momento em que ficarás feliz com o encontro. Escuta-O de novo.

 

Colóquio final

Com o teu Pai Deus tão serviçal em relação a ti, vence essa tua resistência em servires os da tua casa nessas ninharias domésticas que, bem vistas as coisas, nada têm de ninharias. Pede ao Espírito Santo o dom de o conseguires fazer.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.