Terça-feira da vigésima quarta semana do tempo comum

Hoje é dia dezanove de setembro, terça-feira da vigésima quarta semana do tempo comum.

Começa a tua oração
procurando criar espaço para Deus no teu interior. 
Pensa naquela preocupação mais urgente..., 
naquela pessoa que mais te inquieta..., 
naquela dor que mais te incomoda... 
Confia tudo isso ao Senhor... 
E vai pedindo ao Espírito Santo que preencha o teu coração com a sua paz. 

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 7, 11-17]

Jesus dirigia-Se para uma cidade chamada Naim;
iam com Ele os seus discípulos e uma grande multidão.
Quando chegou à porta da cidade,
levavam um defunto a sepultar,
filho único de sua mãe, que era viúva.
Vinha com ela muita gente da cidade.
Ao vê-la, o Senhor compadeceu-Se dela e disse-lhe:
«Não chores».
Jesus aproximou-Se e tocou no caixão;
e os que o transportavam pararam.
Disse Jesus:
«Jovem, Eu te ordeno: levanta-te».
O morto sentou-se e começou a falar;
e Jesus entregou-o à sua mãe.
Todos se encheram de temor
e davam glória a Deus, dizendo:
«Apareceu no meio de nós um grande profeta;
Deus visitou o seu povo».
E a fama deste acontecimento
espalhou-se por toda a Judeia e pelas regiões vizinhas. 

 

Pontos de oração

É notável que Jesus, no meio da multidão, fosse capaz de manter um olhar atento e personalizado. E é de realçar a empatia demonstrada para com a viúva. Isso mostra como o coração de Jesus é aberto e sensível a todo o sofrimento. 

Depois de parar e partilhar o sofrimento da viúva, o Senhor não poderia ficar de braços cruzados. É demais para Ele. É como se dissesse: “isto não pode ser”. E então age. 
Experimenta pôr-te no meio da multidão e entrar em comunhão com o que está a acontecer. 

Vais ouvir de novo o Evangelho. Repara no olhar de Jesus a transformar-se ao longo da cena.

 

Colóquio final

Pergunta ao Senhor que sofrimentos quererá Ele socorrer neste momento da história, no teu contexto, através de ti. Deixa que isso venha à consciência. Tira as consequências.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.