Terça-feira da vigésima terceira semana do tempo comum

Hoje é dia dez de setembro, terça-feira da vigésima terceira semana do tempo comum.

Bendizer o Senhor dia após dia... eis um excelente propósito: começar sempre a tua oração com palavras de louvor, palavras de bênção, palavras que digam bem de Deus. Podes sentir a urgência de pedir algo ou a necessidade de te queixares diante do Senhor: é muito legítimo e, com frequência, Ele é o único a quem podes abrir plenamente o coração. Mesmo assim, procura começar por algumas palavras de louvor, palavras sentidas, de quem sabe que, diante de Deus, a primeira atitude há de ser a gratidão. Hoje, começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 6, 12-19]

Jesus subiu ao monte para rezar e passou a noite em oração a Deus. Quando amanheceu, chamou os discípulos e escolheu doze entre eles, a quem deu o nome de apóstolos: Simão, a quem deu também o nome de Pedro, e seu irmão André; Tiago e João; Filipe e Bartolomeu, Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado o Zelota; Judas, irmão de Tiago, e Judas Iscariotes, que veio a ser o traidor. Depois desceu com eles do monte e deteve-Se num sítio plano, com numerosos discípulos e uma grande multidão de pessoas de toda a Judeia, de Jerusalém e do litoral de Tiro e de Sidónia. Tinham vindo para ouvir Jesus e serem curados das suas doenças. Os que eram atormentados por espíritos impuros também ficavam curados. Toda a multidão procurava tocar Jesus, porque saía d’Ele uma força que a todos sarava.

A oração constitui o fundamento de Jesus. Durante o dia, Ele estava com os discípulos. À noite, enquanto eles descansavam, podia estar exclusivamente com o Pai. Jesus sentia uma necessidade imperiosa da oração, pois era na oração que podia discernir a vontade do Pai e fortalecer-Se em vista da sua missão.

Jesus escolhe doze entre os seus discípulos para constituírem um núcleo mais íntimo. Designa-os de apóstolos, em vista a serem enviados em seu nome. Chama-os pelo nome, mostrando conhecer bem os discípulos. É um grupo estruturado, que tem um líder, Pedro. E dispõe os discípulos aos pares, de maneira a poderem colaborar entre si.

Escuta novamente o Evangelho. No sopé do monte, Jesus acolhe todos, sem distinções. O ensinamento de Jesus é acompanhado de gestos de misericórdia, que vão ao encontro das pessoas e dos seus sofrimentos. Do próprio Jesus sai uma força que comunica às pessoas vida em plenitude.

Pede ao Senhor a graça de acolheres a força, a vida plena que Jesus te quer comunicar, e de a fazeres circular em favor dos outros.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.