Terça-feira, festa litúrgica de São Tiago, Apóstolo

Hoje é dia vinte e cinco de julho, terça-feira, festa litúrgica de São Tiago, Apóstolo.

A memória do Apóstolo Tiago
conduz-nos para a experiência da peregrinação,
num Caminho que moldou, durante séculos,
a história da Europa.
Neste Caminho, encontramos o rosto
de uma Igreja despojada,
calçada com as sandálias e o bastão do caminhante.
Hoje, associa a tua oração
à experiência da peregrinação, de um caminho
que se constrói e se traça
no dia a dia da tua vida.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus [Ev Mt 20, 20-28].

A mãe dos filhos de Zebedeu
aproximou-se de Jesus com os filhos
e prostrou-se para Lhe fazer um pedido.
Jesus perguntou-lhe: «Que queres?».
Ela disse-Lhe:
«Ordena que estes meus dois filhos
se sentem no teu reino
um à tua direita e outro à tua esquerda».
Jesus respondeu:
«Não sabeis o que estais a pedir.
Podeis beber o cálice que Eu hei-de beber?».
Eles disseram: «Podemos».
Então Jesus declarou-lhes:
«Bebereis do meu cálice.
Mas sentar-se à minha direita e à minha esquerda
não pertence a Mim concedê-lo;
é para aqueles a quem meu Pai o designou».
Os outros dez, que tinham escutado,
indignaram-se com os dois irmãos.
Mas Jesus chamou-os e disse-lhes:
«Sabeis que os chefes das nações exercem domínio sobre elas
e os grandes fazem sentir sobre elas o seu poder.
Não deve ser assim entre vós.
Quem entre vós quiser tornar-se grande
seja vosso servo
e quem entre vós quiser ser o primeiro
seja vosso escravo.
Será como o filho do homem,
que não veio para ser servido, mas para servir
e dar a vida pela redenção dos homens». 

 

Pontos de oração

Acabaste de ouvir como a mãe dos filhos de Zebedeu vai meter uma cunha para os seus filhos: nada mais nada menos do que terem os melhores lugares no céu. 

A mãe de João e Tiago - pois era deles que se tratava - pede, para os seus filhos, os lugares à direita e à esquerda de Jesus no Céu. 

Ouve o texto outra vez e imagina Jesus a ouvir aquela mãe. Teria Jesus ficado muito surpreendido? Quais teriam sido os sentimentos de Jesus? 

 

Colóquio final

No final desta oração fala com Jesus sobre as tuas ambições. São de glória pessoal ou de serviço? O facto de os outros te apreciarem não é incompatível com o serviço. Fala sobre isso com Jesus. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.