Terça-feira, memória litúrgica da Apresentação de Nossa Senhora

Hoje é dia vinte e um de novembro, terça-feira, memória litúrgica da Apresentação de Nossa Senhora.

Santo Agostinho, no século IV,
proferiu esta frase surpreendente:
«Maria cumpriu, e cumpriu perfeitamente, a vontade do Pai;
e, por isso, Maria tem mais mérito por ter sido discípula de Cristo
do que por ter sido mãe de Cristo;
mais ditosa é Maria por ter sido discípula de Cristo
do que por ter sido mãe de Cristo».
Santo Agostinho aponta-nos para o essencial da experiência cristã:
a escuta fiel da Palavra, a entrega filial na fé.
Que a tua vida e a tua oração sejam, a exemplo de Maria,
um caminho de entrega à vontade do Pai.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 19, 1-10]

Jesus entrou em Jericó e começou a atravessar a cidade.
Vivia ali um homem rico chamado Zaqueu,
que era chefe de publicanos.
Procurava ver quem era Jesus,
mas, devido à multidão, não podia vê-Lo,
porque era de pequena estatura.
Então correu mais à frente e subiu a um sicómoro,
para ver Jesus, que havia de passar por ali.
Quando Jesus chegou ao local,
olhou para cima e disse-lhe:
«Zaqueu, desce depressa,
que Eu hoje devo ficar em tua casa».
Ele desceu rapidamente e recebeu Jesus com alegria.
Ao verem isto, todos murmuravam, dizendo:
«Foi hospedar-Se em casa dum pecador».
Entretanto, Zaqueu apresentou-se ao Senhor, dizendo:
«Senhor, vou dar aos pobres metade dos meus bens
e, se causei qualquer prejuízo a alguém,
restituirei quatro vezes mais».
Disse-lhe Jesus:
«Hoje entrou a salvação nesta casa,
porque Zaqueu também é filho de Abraão.
Com efeito, o Filho do homem veio procurar e salvar
o que estava perdido». 

 

Pontos de oração

No caminho para Jerusalém, Jesus atravessa Jericó. A multidão aglomera-se em volta dele. Zaqueu também o quer ver e, porque de pequena estatura, sobe para uma árvore. Zaqueu queria apenas ver Jesus. Num primeiro momento, a única coisa que move Zaqueu é a curiosidade – a superação do seu complexo de inferioridade! Mas encontramos também aqui um pequeno gérmen de fé.

Zaqueu nunca imaginou que o seu olhar se viesse a encontrar com o de Jesus, enquanto ele estava empoleirado na árvore. E o olhar de Jesus é ainda mais rápido que o de Zaqueu. Mas não é um olhar de troça e desprezo, como num duelo de vida ou de morte – é um olhar de amor!... E Zaqueu cai do sicómoro. 
Jesus também tem pressa de ficar em tua casa! 

Jesus hospedou-Se realmente em casa de Zaqueu. E o desfecho é extraordinário: “Senhor, vou dar aos pobres metade dos meus bens e, se causei qualquer prejuízo a alguém, restituirei quatro vezes mais”. 

 

Colóquio final

Pede a graça de acolheres o Senhor em tua casa. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.