Terça-feira, memória litúrgica de Santa Luzia

Hoje é dia treze de dezembro, terça-feira, memória litúrgica de Santa Luzia.  

De Cheryl Ann Fulton estás a escutar David of the White Rock.

Santa Luzia é uma mártir do século quarto. Foi morta durante as perseguições do imperador Diocleciano. Tal como todos os mártires de Cristo, ela foi uma testemunha do amor de Deus. Não quis, nem por palavras nem por atos, negar o Senhor e manteve-se fiel ao mais importante.
Agora que vais começar a tua oração, pede ao Senhor a graça de centrares a tua vida no que é verdadeiramente importante. Assim, vale a pena começares a tua oração.

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 21, 18-32]

Disse Jesus aos príncipes dos sacerdotes e aos anciãos do povo: 
«Que vos parece? Um homem tinha dois filhos. 
Foi ter com o primeiro e disse-lhe: 
‘Filho, vai hoje trabalhar na vinha’. 
Mas ele respondeu-lhe: ‘Não quero’. 
Depois, porém, arrependeu-se e foi. 
O homem dirigiu-se ao segundo filho e falou-lhe do mesmo modo. 
Ele respondeu: ‘Eu vou, Senhor’. 
Mas de facto não foi. 
Qual dos dois fez a vontade ao pai?» 
Eles responderam-Lhe: «O primeiro». 
Jesus disse-lhes: 
«Em verdade vos digo: 
Os publicanos e as mulheres de má vida
irão diante de vós para o reino de Deus. 
João Batista veio até vós, 
ensinando-vos o caminho da justiça, 
e não acreditastes nele; 
mas os publicanos e as mulheres de má vida acreditaram. 
E vós, que bem o vistes, 
não vos arrependestes, acreditando nele». 

 

Pontos de oração

Mais uma vez, encontramos a força de Jesus na argumentação. Basta-Lhe contar uma parábola para não deixar dúvidas. De que servem as palavras ditas, se as ações não correspondem ao que foi dito? De que serve dizer-se crente, se isso não tem consequências na vida concreta? 

O amor, ou é concreto ou não é amor. Porque o amor não se fica por sentimentos ou meros desejos; muito menos se reduz a palavras. O amor é gesto, é ação, é concretização. Na verdade, talvez não haja nada mais prático do que o amor. Por isso, também implica sangue, suor, lágrimas. 

Conforme ouves de novo o Evangelho, repara naqueles que Jesus coloca em primeiro lugar. Deixa-te provocar: eles entrarão também antes de ti. 

 

Colóquio final

Pede ao Senhor que te ajude a ser cada vez mais coerente e consequente: começando por aquilo em que acreditas, passando pelo que sentes, pensas, dizes e fazes. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.