Terça-feira, memória litúrgica de Santa Teresa do Menino Jesus, religiosa e doutora da Igreja

Hoje é dia um de outubro, terça-feira, memória litúrgica de Santa Teresa do Menino Jesus, religiosa e doutora da Igreja.

O poder da oração está sobretudo no facto de não exigir raciocínios complicados nem conhecimentos especializados. Qualquer pessoa, em qualquer lugar, pode abrir o coração a Deus e acolher a sua presença. Depois, é deixar Deus agir. Teresa de Lisieux entendeu isso desde muito cedo e descobriu desse modo o lugar dos pequeninos no coração da Igreja: ser o amor, até ao dom total de si, à imagem do Senhor Jesus. Interroga-te sobre até onde já foste neste caminho do amor e sobre o quanto te falta percorrer... e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Lucas. [Ev Lc 9, 51-56]

Aproximando-se os dias de Jesus ser levado deste mundo, Ele tomou a decisão de Se dirigir a Jerusalém e mandou mensageiros à sua frente. Estes puseram-se a caminho e entraram numa povoação de samaritanos, a fim de Lhe prepararem hospedagem. Mas aquela gente não O quis receber, porque ia a caminho de Jerusalém. Vendo isto, os discípulos Tiago e João disseram a Jesus: «Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu que os destrua?». Mas Jesus voltou-Se e repreendeu-os. E seguiram para outra povoação.

Tiago e João estavam cheios de sentimentos de vingança. A vingança é um sentimento que de vez em quando aparece. Está próxima do rancor. Tu sentes desejos de vingança? Rancor?

Repara que o rancor não é a mesma coisa que não esquecermos uma afronta. Não esquecermos é uma caraterística da nossa memória. Também acontece em relação aos acontecimentos agradáveis. O rancor é ficarmos a remoer uma afronta com azedume e sentimentos negativos, desejando o mal do outro.

Ouve o Evangelho outra vez. Acompanha Tiago e João quando perguntam a Jesus se quer que mandem vir o «fogo do céu».

Neste colóquio com Jesus, fala-Lhe de alguma situação em que estejas magoado com alguém. Ou em que tenhas estado. Pede-Lhe que te ajude a perdoar, a rezar por essa pessoa. Ou, pelo menos, a ter desejo de um dia vires a perdoar. Às vezes, se estamos mesmo muito magoados, não conseguimos perdoar logo na altura.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.