Terça-feira, memória litúrgica de Santo Inácio de Antioquia

Hoje é dia dezassete de outubro, terça-feira, memória litúrgica de Santo Inácio de Antioquia.

Neste dia deparamos com a fé ardente, doação completa e amor singular a Cristo do mártir Inácio de Antioquia. O seu testemunho de amor ao Evangelho fez dele um luzeiro de Deus. 
Durante alguns momentos, olha para dentro de ti e a questiona a forma como vives o Evangelho e o seguimento de Cristo.
Vale a pena começares assim a tua oração.

 

Escuta esta passagem da Carta de São Paulo aos Romanos. [L 1 Rm 1, 16-25].

Irmãos:
Não me envergonho do Evangelho,
que é a força de Deus para a salvação de todo o crente:
do judeu primeiramente, mas também do não judeu.
Porque no Evangelho se revela a justiça de Deus,
que tem origem na fé e conduz à fé,
como está escrito: ‘O justo viverá pela fé’.
Na verdade, a ira de Deus manifesta-se do alto do Céu
contra toda a impiedade e injustiça dos homens,
que na sua injustiça abafam a verdade.
De facto, o que se pode conhecer de Deus é manifesto para eles,
porque Deus lho manifestou.
Desde a criação do mundo, as perfeições invisíveis de Deus,
o seu poder eterno e a sua divindade
tornam-se, pelas suas obras, visíveis à inteligência.
Deste modo, eles não têm desculpa,
porque, conhecendo a Deus,
não O glorificaram como Deus nem Lhe deram graças.
Ao contrário, entregaram-se aos seus vãos raciocínios
e o seu coração insensato encheu-se de trevas.
Pretendendo ser sábios, tornaram-se loucos
e trocaram a glória de Deus imortal
por imagens que representam homens mortais,
aves, quadrúpedes e répteis.
Por isso Deus os entregou,
segundo os desígnios dos seus corações,
à impureza com que desonram os seus corpos.
Eles trocaram a verdade de Deus pela mentira,
prestaram culto e adoração às criaturas
em lugar do Criador,
que é bendito para sempre. Ámen. 

 

Pontos de oração

O facto de não te envergonhares de Deus e do seu Evangelho advém da consciência da sua Presença, que te envolve em cada instante da tua vida. Não há maior alegria do que sentires-te sujeito do amor e carinho de Deus.
Como correspondes a esse amor? Tens consciência de que Ele envolve a tua vida toda, por dentro e por fora? 

A verdade de Deus, manifestada na vida do seu Filho Jesus, é para todos os homens e mulheres, desde sempre e para sempre. Não troques esta verdade pela mentira, servindo o teu “eu” e não o teu Deus nos irmãos que passam por ti todos os dias.
Procura sair de ti para ir ao encontro dos que mais sofrem... procura estender a mão aos teus irmãos. Desta forma estarás a transmitir a luz de Deus no meio de uma geração onde o Amor não é amado. 

Escuta novamente a Carta de São Paulo aos Romanos e pede ao Senhor a graça da fidelidade à sua verdade.  

 

Colóquio final

Agradece a Deus o dom do Evangelho. Recorda todos aqueles que sofrem perseguição por serem discípulos de Jesus e todos os que dão a sua vida por Ele. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.