Terça-feira, memória litúrgica de São Basílio e São Gregório Nazianzeno

Hoje é dia dois de janeiro, terça-feira, memória litúrgica de São Basílio e São Gregório Nazianzeno.

Começar um novo ano significa continuar uma história,
uma escrita, uma tradição.
Muito do que somos brota de um dom,
das graças, bênçãos e talentos que nos foram concedidos.
Hoje, começa a tua oração agradecendo também
toda a tradição da Igreja, de cujo tesouro
brotam coisas novas e coisas antigas.
E repete com São Basílio e São Gregório, 
do século quarto da era cristã, estas palavras:
«Para nós o maior título de glória
é sermos cristãos e como tal sermos reconhecidos».

 

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São João [Ev Jo 1, 19-28].

Foi este o testemunho de João Batista,
quando os judeus lhe enviaram de Jerusalém
sacerdotes e levitas para lhe perguntarem:
«Quem és tu?»
Ele confessou e não negou:
«Eu não sou o Messias».
Eles perguntaram-lhe:
«Então, quem és tu? És Elias?»
«Não sou», respondeu ele.
«És o Profeta?»
Ele respondeu: «Não».
Disseram-lhe então: «Quem és tu?
Para podermos dar uma resposta àqueles que nos enviaram,
que dizes de ti mesmo?»
Ele declarou:
«Eu sou a voz que clama no deserto:
‘Endireitai o caminho do Senhor’,
como disse o profeta Isaías».
Entre os enviados havia fariseus que lhe perguntaram:
«Então porque batizas,
se não és o Messias, nem Elias, nem o Profeta?»
João respondeu-lhes:
«Eu batizo na água;
mas no meio de vós está Alguém que não conheceis:
Aquele que vem depois de mim,
a quem eu não sou digno de desatar a correia das sandálias».
Tudo isto se passou em Betânia, além do Jordão,
onde João estava a batizar. 

 

Pontos de oração

Ainda dentro do tempo litúrgico do Natal, rezamos com a figura de João Batista. 
Repara na humildade de João: sabe muito bem quem é; e não quer que o tomem por quem não é. 
O que tens hoje a aprender com este profeta?

João preparava a vinda do Messias e sabia que não era «digno de lhe desatar a correia das sandálias». 
Em que situações percebes que tens que te pôr no teu lugar, e não querer aparentar o que não és?

Ouve de novo, com atenção, o diálogo de João Batista com as pessoas que procuravam saber quem ele era.

 

Colóquio final

Aproveita para ter uma conversa com Jesus sobre a humildade e a verdade.
Será que a oração de hoje te abriu os olhos para algum ponto em que precisas de crescer?

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.