Terça-feira, memória litúrgica de São Bernardo

Hoje é dia vinte de agosto, terça-feira, memória litúrgica de São Bernardo.

Considera os motivos que te trouxeram a este momento de oração. Valoriza-os por aquilo que são, mas valoriza-os sobretudo pelas suas consequências: criaram esta oportunidade de ficares a sós com o Senhor, de O escutares e de Lhe falares do que te vai no coração. Podes até concluir que precisas de purificar as razões da tua oração. E também isso é fruto do teu encontro com Deus. É por isso que nada se perde na oração, tudo reverte em glória de Deus e contribui para aumentar a qualidade da tua relação com Ele. Feliz por estares com o Senhor, aqui e agora, dá início à tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 19, 23-30]

Jesus disse aos seus discípulos: «Em verdade vos digo: Um rico dificilmente entrará no reino dos Céus. É mais fácil passar um camelo pelo fundo duma agulha do que um rico entrar no reino de Deus». Ao ouvirem estas palavras, os discípulos ficaram muito admirados e disseram: «Quem poderá então salvar-se?». Jesus olhou para eles e respondeu: «Aos homens isso é impossível, mas a Deus tudo é possível». Então Pedro tomou a palavra e disse-Lhe: «Nós deixámos tudo para Te seguir. Que recompensa teremos?». Jesus respondeu: «Em verdade vos digo: No mundo renovado, quando o Filho do homem vier sentar-Se no seu trono de glória, também vós que Me seguistes vos sentareis em doze tronos para julgar as doze tribos de Israel. E todo aquele que tiver deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos ou terras, por causa do meu nome, receberá cem vezes mais e terá como herança a vida eterna. Muitos dos primeiros serão os últimos e muitos dos últimos serão os primeiros».

Jesus diz que dificilmente um rico entrará no reino dos Céus. Não é que a riqueza seja um mal em si, mas facilmente cria apegos que fazem perder a liberdade. Um cristão faz das coisas meios para chegar a Deus e não põe aí a fonte da sua felicidade.

As riquezas podem enganar porque prometem o que não podem dar. É preciso deixar tudo o que aprisiona o coração: roupa em excesso, o último modelo no mercado, viver na lógica individualista e pouco solidária. Identificas alguma falsa segurança que está a condicionar a tua vida?

Ser discípulo significa seguir Jesus e não as modas do momento, sejam elas materiais ou ideológicas. A riqueza do cristão está na relação com Jesus, que dá sentido à sua vida. Quem segue Jesus ganha uma riqueza que não tem preço: a alegria de ser seu amigo e companheiro.

A lógica de Deus é diferente da lógica do mundo: «Muitos dos primeiros serão os últimos e muitos dos últimos serão os primeiros». Conclui a oração pedindo a graça de um coração livre para colaborares na construção do reino de Deus.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.