Terça-feira da segunda semana do Advento

Hoje é dia onze de dezembro, terça-feira da segunda semana do Advento.

Vais começar a tua oração.
Deixa nascer em ti o desejo de contemplar o rosto do Senhor.
Acolhe com gratidão os sinais da sua presença.
Deixa, por momentos, as preocupações do teu dia
e abandona-te nas mãos de Deus.
Estes minutos são para Ele.
Deixa que seja Ele a ensinar-te os caminhos da tua oração.

Escuta esta passagem do Livro do Profeta Isaías. [L1 Is 40, 1-11]

Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus.
Falai ao coração de Jerusalém e dizei-lhe em alta voz
que terminaram os seus trabalhos e está perdoada a sua culpa,
porque recebeu da mão do Senhor
duplo castigo por todos os seus pecados.
Uma voz clama:
«Preparai no deserto o caminho do Senhor,
abri na estepe uma estrada para o nosso Deus.
Sejam alteados todos os vales e abatidos os montes e as colinas;
endireitem-se os caminhos tortuosos e aplanem-se as veredas escarpadas.
Então se manifestará a glória do Senhor
e todo o homem verá a sua magnificência,
porque a boca do Senhor falou».
Uma voz dizia: «Clama».
E eu respondi: «Que hei de clamar?»
– «Todo o ser humano é como a erva,
toda a sua glória é como a flor do campo.
A erva seca e as flores murcham,
quando o vento do Senhor sopra sobre elas.
A erva seca e as flores murcham,
mas a palavra do nosso Deus permanece eternamente» –.
Sobe ao alto dum monte, arauto de Sião;
grita com voz forte, arauto de Jerusalém;
levanta sem temor a tua voz e diz às cidades de Judá:
«Eis o vosso Deus.
O Senhor Deus vem com poder, o seu braço dominará.
Com Ele vem o seu prémio, precede-O a sua recompensa.
Como um pastor apascentará o seu rebanho
e reunirá os animais dispersos;
tomará os cordeiros em seus braços,
conduzirá as ovelhas ao seu descanso».

Embora seja do senso comum, por vezes esquecemos que somos frágeis e pequenos. Este facto não diminui a nossa beleza, assim como a flor do campo, apesar de frágil, não deixa de ser bela.

Neste momento da tua vida, seja ele mais fácil ou mais complicado, pensa nas fragilidades que há em ti.

Muitas vezes, para ter noção da dimensão de uma coisa, temos de a colocar junto de outras, para as comparar. Do mesmo modo, por contraste com a tua fragilidade, própria do ser humano, que força ou grandeza reconheces em Deus?

Temos alguma resistência a pertencer a um rebanho. Até temos uma expressão pouco simpática, que é «andar em carneirada». Ouve outra vez o texto, dando atenção ao facto de que é usado o plural para falar da nossa relação com Deus.

O texto de hoje termina dizendo que o Senhor «tomará os cordeiros em seus braços, conduzirá as ovelhas ao seu descanso».
Termina a tua oração agradecendo a Deus este cuidado que tem contigo e com todos.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.