Terça-feira, segundo dia do Tempo do Natal

Hoje é dia dezoito de dezembro, terça-feira, segundo dia da novena do Natal.

“Vinde resgatar-nos com o poder do vosso braço”. É um apelo ao Senhor, poderoso em obras e palavras, um apelo de quem experimenta a impotência diante do mal, diante de tudo aquilo que destrói a vida ou, pelo menos, a torna insuportável.
Neste segundo dia da novena de Natal, guiado pelas palavras de Dom Nuno Almeida, bispo auxiliar de Braga, deixa-te tocar pelo assombro do que está para acontecer... e começa assim a tua oração.

Escuta esta passagem do Evangelho segundo São Mateus. [Ev Mt 1, 18-25]

O nascimento de Jesus deu-se do seguinte modo:
Maria, sua Mãe, noiva de José,
antes de terem vivido em comum,
encontrara-se grávida por virtude do Espírito Santo.
Mas José, seu esposo,
que era justo e não queria difamá-la,
resolveu repudiá-la em segredo.
Tinha ele assim pensado,
quando lhe apareceu num sonho o Anjo do Senhor,
que lhe disse:
«José, filho de David,
não temas receber Maria, tua esposa,
pois o que nela se gerou é fruto do Espírito Santo.
Ela dará à luz um Filho
e tu pôr-Lhe-ás o nome de Jesus,
porque Ele salvará o povo dos seus pecados».
Tudo isto aconteceu para se cumprir o que o Senhor anunciara
por meio do Profeta, que diz:
«A Virgem conceberá e dará à luz um Filho,
que será chamado ‘Emanuel’,
que quer dizer ‘Deus connosco’».
Quando despertou do sono,
José fez como o Anjo do Senhor lhe ordenara
e recebeu sua esposa.

Assombro e louvor enchem hoje o nosso coração, como o de José, perante o mistério do Deus-connosco.

Na tua prece, pede ao Senhor por todos aqueles a quem chama, como a São José, para O servir na Igreja, atendendo, acompanhando e cuidando dos irmãos; pelos pais, para que recebam os filhos como um dom de Deus; por ti e por cada um dos teus irmãos, para que todos cumpram fielmente a missão que o Senhor lhes confia.

Vive atento ao serviço dos que te rodeiam. Assim nascerá Cristo em cada dia na tua vida, na família, na comunidade, como sinal claro do amor imenso de Deus Pai e da sua presença perene entre os seus filhos.

Desperta-me, Senhor,
que o meu coração não “adormeça” no comodismo,
que os meus olhos não se fechem na indiferença,
que os meus lábios não condenem por murmuração,
que os meus ouvidos se abram à tua Palavra,
que a minha vida seja sinal do teu Evangelho.
Guia-me, Senhor, para que seja a tua luz a conduzir os meus passos
e seja o teu amor a fazer brotar cada decisão.
Faz-me desejar o dom da Fé,
para estar vigilante como sentinela que espera a aurora
e ser testemunha fiel da tua Palavra,
durante o dia… todos os dias.

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.