Terceiro domingo do tempo Pascal

Hoje a Igreja celebra o terceiro domingo do tempo Pascal. 

Numa interpretação do coro da Abadia de Westminster estás a escutar Ecce Sacerdos magnus.

«A minha alma está unida a ti, a tua mão direita me sustenta» diz o Salmista ao Senhor, numa oração de grande confiança no Amor de Deus. 
Às vezes, pode ser difícil acreditar que a mão direita do Senhor te sustenta. Pode parecer que tudo no mundo te quer convencer do contrário, que tens de lutar contra tudo e contra todos para seres feliz e encontrares a paz. 
Rezar é dizer a Deus que para ti a vida só vale a pena ser vivida com Ele. Rezar é abrir a porta do teu coração sabendo que só n’Ele podes encontrar a paz e a verdadeira felicidade de um filho que regressa à casa do Pai.
Assim, vale a pena começares a tua oração.

 

Vais rezar um hino de confiança, louvor e agradecimento a Deus. O salmista celebra a libertação de uma doença que o deixou às portas da morte. Ele deseja que todos se lhe juntem para cantar, mesmo no meio das lágrimas.
 
Salmo 29 (30), 2.4-6.11-12a.13b
Eu Vos glorifico, Senhor, porque me salvastes
e não deixastes que de mim se regozijassem os inimigos.
Tirastes a minha alma da mansão dos mortos,
vivificastes-me para não descer à cova.
Cantai salmos ao Senhor, vós os seus fiéis,
e dai graças ao seu nome santo.
A sua ira dura apenas um momento
e a sua benevolência a vida inteira.
Ao cair da noite vêm as lágrimas
e ao amanhecer volta a alegria.
Ouvi, Senhor, e tende compaixão de mim,
Senhor, sede Vós o meu auxílio.
Vós convertestes em júbilo o meu pranto:
Senhor, meu Deus, eu Vos louvarei eternamente.

 

Pontos de Oração

Repete com alegria: “Eu vos glorifico, Senhor, porque me salvastes”. 
Coloca a tua confiança no Senhor, pois ele transforma as lágrimas em alegria: “Vós convertestes em júbilo o meu pranto”. 
Saboreia esta presença de Deus na tua vida. 

Vivemos num tempo em que somos levados a gerir o nosso dia a dia como se Deus não existisse. Mas Deus faz caminho contigo, mesmo que não O vejas. Ele espera pacientemente que O deixes entrar na tua vida. Ele quer que faças a experiência do seu Amor por ti e deseja converter as tuas lágrimas em alegria. 
Dás a Deus a possibilidade de entrar na tua vida?

Escuta de novo este salmo. Imagina estas palavras a serem pronunciadas por Jesus. Ele, fraco e débil, que sofrera a paixão e a morte, foi libertado pelo Pai. Por isso, Cristo convida-te a dar graças a Deus, porque a morte já não tem a última palavra.

Este salmo convida-te a viveres a tua vida em Deus e a deixares que Deus entre na tua vida. 
Convida-te a pedir com insistência: “Ouvi, Senhor, e tende compaixão de mim. Senhor, sede Vós o meu auxílio”.

 

Colóquio final

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.