Trigésimo domingo do Tempo Comum

Hoje, a Igreja celebra o trigésimo domingo do Tempo Comum. 

Será a nossa vida um caminho, 
um coração a moldar, uma alma a abençoar,
um espírito a edificar?
Será o amor a fonte vital, 
a energia, o alimento, o sangue
que une toda a história da salvação?
Hoje é Domingo, o primeiro dia da semana:
acolhe na tua oração o amor renovador do espírito,
e permite que estas perguntas encontrem eco e ressonância
na tua vida.

 

Vais escutar um salmo de súplica e de louvor, que fala de alguém aflito, cansado, possivelmente doente. Deus escuta o seu apelo, fortalece a sua fraqueza, inspira-lhe confiança que se traduz em ação de graças.  

[Salmo 17 (18), 2-3.7.47.51ab]
Eu Vos amo, Senhor, minha força,
minha fortaleza, meu refúgio e meu libertador.
Meu Deus, auxílio em que ponho a minha confiança,
meu protetor, minha defesa e meu salvador.

Na minha aflição invoquei o Senhor
e clamei pelo meu Deus.
Do seu templo Ele ouviu a minha voz
e o meu clamor chegou aos seus ouvidos.

Viva o Senhor, bendito seja o meu protetor;
exaltado seja Deus, meu salvador.
O Senhor dá ao Rei grandes vitórias
e usa de bondade para com o seu Ungido. 

 

Pontos de oração

Retoma o Salmo e vai dizendo, no teu coração:
Obrigado, Senhor, «meu refúgio e meu libertador». A minha vida corre perigo, mas está nas tuas mãos. Tu és meu Pai, «auxílio em que ponho a minha confiança». 

Deixa-te interrogar pelas palavras do salmista:
Que sinais encontras da presença de Deus? A rocha que te sustém, o abrigo contra a tempestade, a mão protetora, o coração... A firmeza suave, o colo aconchegado. 
Onde e quando, a paz do Senhor em ti?

Saboreia a graça da fidelidade. Deixa os teus sentidos usufruírem de uma segurança que não podes dominar: «Eu Vos amo, Senhor, minha força, minha fortaleza, meu refúgio e meu libertador».

Pensa agora um pouco naqueles que não vivem esta certeza porque se sentem órfãos, não tendo família nem casa. Que lhes dirias se os encontrasses? Pede ao Senhor palavras de paz. 

 

Colóquio final

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.