Trigésimo segundo domingo do tempo comum

Hoje a Igreja celebra o trigésimo segundo domingo do tempo comum. 

Tens em ti um coração vivo, habitado pelo Espírito Santo que te atrai e te leva ao grande desafio de uma vida em abundância, uma vida intensa e vivida por Amor. 
Viver intensamente é dar-se a cada momento! E é o Senhor quem te desafia a saíres dos teus interesses e a ires para além do que já conheces. Aceita o desafio de mergulhar em profundidade na vida, sabendo que há Alguém que está sempre contigo, sabendo que aquele em quem pões a tua confiança é Jesus. 
Assim...  vale a pena viver. 

 

Vais escutar o salmo dezasseis, que é uma súplica confiante; um desejo de estar com Deus e de n’Ele encontrar abrigo e consolação.
 
Sl 16
Ouvi, Senhor, uma causa justa, 
atendei a minha súplica. 
Escutai a minha oração,
feita com sinceridade.
Firmai os meus passos nas vossas veredas, 
para que não vacilem os meus pés.
Eu Vos invoco, ó Deus, respondei-me, 
ouvi e escutai as minhas palavras. 
Protegei-me à sombra das vossas asas,
longe dos ímpios que me fazem violência. 
Senhor, mereça eu contemplar a vossa face e, 
ao despertar, saciar-me com a vossa imagem. 

 

Pontos de oração

Deixa o teu coração falar com simplicidade, como quem sabe onde encontrar a paz no meio das tribulações do nosso tempo... e repete: 
À sombra das vossas asas me refugio!

Pensa como é importante saber em quem confiar. Como é importante ser coerente com aquilo em que se acredita; como tudo seria bem diferente se fôssemos verdadeiros connosco e com os outros.

Escutando de novo o salmo, imagina-te a conversar com Jesus sobre as tuas alegrias, onde as encontras e onde as procuras...; e sobre os teus medos e preocupações: de onde vêm eles? 

Termina esta oração recordando que estás a iniciar uma nova semana e propõe-te vivê-la com ânimo e disponibilidade para os outros, na certeza de que Deus está contigo.

 

Oração final

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.