Vigésimo domingo do Tempo Comum

Hoje a Igreja celebra o vigésimo domingo do Tempo Comum.

É fácil cair na rotina de uma oração sem vida,
desmotivada, 
mantida apenas por hábito ou, pior, por superstição. 
Não é essa a oração que tu procuras, 
pois essa oração não te permite encontrar Deus, 
mesmo se Ele continua a deixar-Se encontrar por ti. 
Ainda que rezes porque costumas rezar, 
coloca aí o teu coração, 
disponível, 
cavado pelo desejo de Deus. 
E começa assim a tua oração.

 

Se cairmos no fundo de um poço, pode ser que ninguém nos veja nem oiça. Na maior angústia, porém, estamos seguros de que Deus sempre nos ouve. Asseguras a tua fé, como a do Salmista, na paciência da misericórdia do Senhor? 

Sl 39 (40), 2.3.4.18
Esperei no Senhor com toda a confiança e Ele atendeu-me.
Ouviu o meu clamor e retirou-me do abismo e do lamaçal,
assentou os meus pés na rocha e firmou os meus passos.
Pôs em meus lábios um cântico novo,
um hino de louvor ao nosso Deus.
Vendo isto, muitos hão de temer
e pôr a sua confiança no Senhor.
Eu sou pobre e infeliz:
Senhor, cuidai de mim.
Sois o meu protetor e libertador:
ó meu Deus, não tardeis. 

 

Pontos de oração

“Um cântico novo” surge, muitas vezes, em situações extremas: a experiência de que só Deus pode valer-nos, e mais ninguém.
Saboreia a certeza da confiança. O clamor do pobre bem-aventurado comove sempre o coração do Pai. 

Examina a tua situação presente. Onde estás? Como vais dar alegria?
Ou vives remoendo as tuas dificuldades, ou abres o teu coração a quem vive a teu lado. 
Talvez não oiças o grito de quem sofre. Pede a Jesus que te rasgue o coração.

Insiste na ação de graças, no louvor, na admiração, no aconchego da ternura de Deus. O rosto de Jesus não engana. Procura-O em cada pessoa que encontrares.

Sofres de impaciência? Passas, sem parar. 
Escuta a voz do mar, o silêncio das nuvens. Descansa em Deus. Assenta os teus pés na rocha firme que é Jesus. 

 

Oração final

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.