Vigésimo domingo do tempo comum

Hoje a Igreja celebra o vigésimo domingo do tempo comum.

O domingo continua a ser aquele dia especial que ajuda a viver. Mesmo se tens de trabalhar ao domingo, sentes que não é normal, não é suposto ser assim. O domingo é a pausa para respirar, libertando-se do sufoco de todos os dias. É também a pausa que permite dar mais tempo à oração, mais tempo a Deus. Aproveita estes minutos para fazer esse exercício de respiração espiritual. Ele pode ajudar-te a manter à superfície a tua vida, tantas vezes ameaçada de perder a sua originalidade mais profunda, aquela que lhe vem de Deus. Com este desejo, começa a tua oração.

Vais ouvir o salmo trinta e nove. É um salmo de ação de graças pelos benefícios concedidos por Deus, que atende as súplicas de quem reza com confiança. [Sl 39 (40), 2.3.4.18] Esperei no Senhor com toda a confiança e Ele atendeu-me. Ouviu o meu clamor e retirou-me do abismo e do lamaçal, assentou os meus pés na rocha e firmou os meus passos. Pôs em meus lábios um cântico novo, um hino de louvor ao nosso Deus. Vendo isto, muitos hão de temer e pôr a sua confiança no Senhor. Eu sou pobre e infeliz: Senhor, cuidai de mim. Sois o meu protetor e libertador: ó meu Deus, não tardeis.

O salmista maravilha-se com o que Deus é capaz de fazer na sua pobreza e pequenez. Consciente da fragilidade da condição humana, enaltece a grandeza de Deus: – Esperei no Senhor com toda a confiança e Ele atendeu-me. – Retirou-me do abismo e do lamaçal, assentou os meus pés na rocha e firmou os meus passos. – Senhor, cuidai de mim. Sois o meu protetor e libertador.

Este salmo começa com uma imagem sugestiva: alguém angustiado, preso no lamaçal e quase a afundar-se. É salvo graças aos seus clamores e pedidos de socorro, ao ponto de se ver logo a seguir de pés assentes em rocha firme. Esta é a experiência de quem persevera na oração nos momentos de dificuldade.

Vendo-se protegido e resgatado do perigo, o autor do salmo não se engana: a graça da salvação vem de Deus e não de si. Por isso, insiste para que Deus cuide dele, o proteja e liberte dos perigos. Enquanto escutas novamente este hino, oferece a Deus as maiores dificuldades que vives neste momento.

Toma consciência que agradecer o que se recebe de Deus é motivo de força. Um coração cheio de gratidão é capaz de enfrentar as dificuldades com maior confiança. Enquanto a oração vai chegando ao fim, repete com o salmista: «Senhor, cuidai de mim».

Pai nosso que estais nos céus santificado seja o vosso nome venha a nós o vosso Reino seja feita a vossa vontade assim na terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação mas livrai-nos do mal.