Vigésimo nono domingo do tempo comum

Hoje a Igreja celebra o vigésimo nono domingo do tempo comum.

Celebrando o domingo, o dia do Senhor,

considera o que já viveste e o que ainda vais viver neste dia. 
Procura perceber em tudo isso a presença do Senhor ressuscitado. 
Não é fácil
e talvez não consigas à primeira nem à segunda tentativa. 
Mas, pelo menos, deixa em aberto a possibilidade dessa presença. 
Quem sabe?..., 
talvez o Senhor te surpreenda onde menos esperas
e se manifeste onde nunca pensaste encontrá-Lo... 
Deixa-te ficar disponível para o que o Senhor quiser, e começa a tua oração.

 

Vais ouvir um salmo que sublinha o auxílio e a defesa que vêm de Deus.

[Sl 120 (121), 1-8]
Levanto os meus olhos para os montes:
donde me virá o auxílio?
O meu auxílio vem do Senhor, que fez o céu e a terra.
Não permitirá que vacilem os teus passos,
não dormirá Aquele que te guarda.
Não há de dormir nem adormecer Aquele que guarda Israel.
O Senhor é quem te guarda,
o Senhor está a teu lado, Ele é o teu abrigo.
O sol não te fará mal durante o dia,
nem a lua durante a noite.
O Senhor te defende de todo o mal,
o Senhor vela pela tua vida.
Ele te protege quando vais e quando vens,
agora e para sempre. 

 

Pontos de oração

O salmo afirma com insistência que o Senhor nos livra de todo o mal e que vela por nós, por ti. 
Repete com o salmista: “O meu auxílio vem do Senhor, que fez o céu e a terra”.

Agora pensa que és o salmista e agradece toda a proteção que tens tido de Deus. Se quiseres, concentra-te nalgum momento concreto da tua vida.

Ao ouvires o salmo outra vez, saboreia calmamente todo o ambiente positivo do salmo, o ambiente de confiança, de segurança, de firmeza que dele emana.

Achas que podes encarnar o que o salmo diz? Achas que podes ter o teu auxílio em Deus? No fundo, achas que podes descansar em Deus?

 

Oração final

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.