Vigésimo oitavo domingo do tempo comum

Hoje a Igreja celebra o vigésimo oitavo domingo do tempo comum.

Como qualquer relação,
a fé precisa de ser alimentada e cuidada para crescer.
A oração é o alimento da fé,
pois é o único modo de cultivar a relação com Deus.
Interroga-te sobre o modo como vais alimentando esta relação
e pede ao Senhor para não permitir que te percas por caminhos
estranhos ao seu Evangelho.
Alimenta em ti o desejo de cresceres na relação com Deus...
e começa assim a tua oração.

 

Vais ouvir um salmo de louvor a Deus, um salmo que convida as pessoas a aclamarem o Senhor.

[Sl 97 (98), 1-4]

Cantai ao Senhor um cântico novo pelas maravilhas que Ele operou.
A sua mão e o seu santo braço Lhe deram a vitória.
O Senhor deu a conhecer a salvação,
revelou aos olhos das nações a sua justiça.
Recordou-Se da sua bondade e fidelidade,
em favor da casa de Israel.
Os confins da terra puderam ver a salvação do nosso Deus.
Aclamai o Senhor, terra inteira,
exultai de alegria e cantai. 

 

Pontos de oração

Há uma ideia que o salmo repete: a da salvação que veio através do “santo braço” de Deus. 
Acompanha o salmista, repetindo com ele: “O Senhor deu a conhecer a sua salvação”.

Pensa que és o salmista e estás a agradecer a tua salvação. 
Recorda uma situação ou situações em que precisaste do perdão de Deus, da sua salvação. 
Procura tranquilizar-te, respirando devagar, e agradece ao Senhor esses momentos em que experimentaste a sua misericórdia.

Ao ouvires o salmo outra vez, enche-te da alegria que ele pretende transmitir.

Achas que podes receber até ao fundo de ti mesmo a salvação de Deus? Sentir que ela enche todo o teu ser, atinge todas as facetas da tua existência?

 

Oração final

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.