Vigésimo sétimo domingo do tempo comum

Hoje a Igreja celebra o vigésimo sétimo domingo do tempo comum.

A oração é uma graça cujo alcance não pode ser medido por nenhum valor exclusivamente humano. Para se ter uma noção do seu poder é necessário incluir Deus nas contas. Afinal, o segredo da oração é precisamente Deus. Deixada unicamente às tuas forças, seria sempre um esforço inglório, uma ilusão: o teu falar com Deus não seria senão uma conversa contigo. Mas se deixas Deus entrar no jogo, este fica transfigurado: já não estás sozinho e, sobretudo, já não és tu o responsável pelo resultado final. Neste domingo, toma consciência da graça que é ter Deus contigo... e começa assim a tua oração.

Vais ouvir o salmo noventa e quatro. Para o rezar e o interiorizar é preciso mesmo querer ouvir com o coração aberto e disponível. [Sl 94 (95), 1-2.6-7.8-9] Vinde, exultemos de alegria no Senhor, aclamemos a Deus, nosso Salvador. Vamos à sua presença e dêmos graças, ao som de cânticos aclamemos o Senhor. Vinde, prostremo-nos em terra, adoremos o Senhor que nos criou. O Senhor é o nosso Deus, e nós o seu povo, as ovelhas do seu rebanho. Quem dera ouvísseis hoje a sua voz: «Não endureçais os vossos corações, como em Meriba, como no dia de Massa no deserto, onde vossos pais Me tentaram e provocaram, apesar de terem visto as minhas obras».

Tranquilamente, lembra-te de alguma frase ou palavra que te tenha tocado. Repete-a. Não tem que ser à letra. Por exemplo: “adoremos o Senhor que nos cria”; ou: “vamos à sua presença, agradecidos”.

Imaginando-te a fazer caminho com os teus amigos na fé, pensa naqueles que andam tristes e desiludidos, com o coração duro, sem ver o lado bom de nada. Porquê? Como os podes ajudar?

Ouve de novo este Salmo, ainda com mais vontade de acolher o Deus que vem. Como podes ser alegre e transmitir alegria sem fugir à realidade, mas mostrando que é possível sentir-se salvo e amado? São essas as fontes da alegria.

Prepara um pouco a semana que vem para a viveres numa atitude construtiva e comunicativa. E pede a Deus que te abençoe.

Pai nosso que estais nos céus santificado seja o vosso nome venha a nós o vosso Reino seja feita a vossa vontade assim na terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixeis cair em tentação mas livrai-nos do mal.