Décimo Domingo do Tempo Comum

Hoje, a Igreja celebra o décimo Domingo do Tempo Comum. 

É a fé que nos leva a falar,
é a fé que abre os nossos lábios para o louvor
e os nossos passos para o caminhar.
É a fé que nos dá a força e a fragilidade da confiança
perante as aflições dos momentos e dos contextos.
Hoje é domingo, o primeiro dia da semana:
que neste dia e nesta semana se multipliquem, para ti,
os motivos de louvor e de gratidão, de confiança e de paz.

 

O Salmista convida-te a dilatares o teu coração e a proclamares que «no Senhor está a misericórdia e a abundante redenção». 

[Salmo 129 (130), 1-2.3-4ab.4c-6.7-8]
Do profundo abismo chamo por Vós, Senhor,
Senhor, escutai a minha voz.
Estejam os vossos ouvidos atentos
à voz da minha súplica.

Se tiverdes em conta os nossos pecados,
Senhor, quem poderá salvar-se?
Mas em Vós está o perdão,
para Vos servirmos com reverência.

Eu confio no Senhor,
a minha alma confia na sua palavra.
A minha alma espera pelo Senhor,
mais do que as sentinelas pela aurora.

Porque no Senhor está a misericórdia
e com Ele abundante redenção.
Ele há de libertar Israel
de todas as suas faltas.

 

Faz tuas as palavras do Salmista e repete, pausada e confiadamente:
«no Senhor está a misericórdia». 

O Salmo faz-te cair na conta que precisas de confiar no Senhor, clamar por Ele, desejar o perdão, suplicar a misericórdia. Mas só quem se sente pecador pode ter esta atitude, só quem se sente doente vai ao médico divino, só quem se sente escravo clama pela liberdade. 
Confias no Senhor? Sentes que precisas d’Ele? Entregas-te à sua misericórdia? 

Ao ouvir novamente o salmo em teu coração, deixa ecoar a sabedoria da Palavra dentro de ti. 

Hoje é Domingo, dia de festa e de Páscoa. Na rua, em casa ou no carro, vai repetindo sem cessar: “No Senhor está a misericórdia”. Deseja ardentemente esta misericórdia e mergulha o teu coração no amor de Deus redentor. 

 

Pai nosso que estais nos céus
santificado seja o vosso nome
venha a nós o vosso Reino
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
e não nos deixeis cair em tentação
mas livrai-nos do mal.