Segunda-feira da sexta semana do tempo comum

Hoje é dia treze de fevereiro, segunda-feira da sexta semana do tempo comum.

De Joachim Heimbaecher estás a escutar Shared Memories

Continuamos a caminhada rumo ao centenário de Fátima. 
A mensagem de Fátima constitui um convite
a viver a oração como um mistério de reparação,
isto é, de cura e libertação
de tudo o que oprime a humanidade.
Acolhe este mistério em ti,
coloca-te na presença do Espírito Santo
capaz de, lentamente, te conduzir à beleza de existir.
E começa assim a tua oração.


Escuta esta passagem do livro do Génesis [L 1 Gen 4, 3-15]

Caim ofereceu em sacrifício ao Senhor produtos da terra
e Abel ofereceu as primícias e a gordura do seu rebanho.
O Senhor olhou benignamente para Abel e para a sua oferenda,
mas não quis olhar para Caim e para a sua oferenda.
Caim ficou muito irritado e de rosto abatido.
O Senhor disse a Caim:
«Porque estás irritado e de rosto abatido?
Se procederes bem, não poderás ainda levantar a cabeça?
Mas se não procederes bem, o pecado está à tua porta.
Ele desejará atingir-te, mas tu poderás dominá-lo».
Disse Caim a seu irmão Abel:
«Vamos ao campo».
E quando estavam no campo,
Caim lançou-se contra seu irmão Abel e matou-o.
O Senhor disse a Caim: «Onde está o teu irmão Abel?».
Caim respondeu: «Não sei. Sou porventura eu o guarda do meu irmão?».
O Senhor disse-lhe: « Que fizeste?
A voz do sangue do teu irmão clama da terra por Mim.
Agora ficas maldito pela terra,
que abriu a boca para receber das tuas mãos o sangue do teu irmão.
Ainda que a cultives, não mais te dará a sua fertilidade.
Andarás errante e fugitivo sobre a terra».
Caim disse ao Senhor:
«O meu castigo é tão grande que não poderei suportá-lo.
Se hoje me desterrais daqui,
terei de ocultar-me da vossa presença;
andarei errante e fugitivo sobre a terra
e o primeiro que me encontre me matará».
O Senhor respondeu-lhe:
«Quem matar Caim será vingado sete vezes».
O Senhor colocou um sinal sobre Caim,
para que ele não fosse morto por quem o encontrasse.

 

Pontos de oração

Onde está o teu irmão? 
Esta não é uma pergunta feita a outrem; é uma pergunta para ti. Habituas-te ao sofrimento do outro, como se não te dissesse respeito? O teu irmão é uma responsabilidade tua? Quem são os teus irmãos? Onde estão eles? 

Tanta gente sofre, está só, refugiada, em guerra. Quem de nós chorou por este facto e por factos como este? Quem chorou pelo mal dos irmãos? 
Pede ao Senhor a graça de chorar pela nossa indiferença, de chorar pela crueldade que há no mundo e em nós.

Quem é o responsável pelo sangue dos irmãos? 
Todos respondem: não sou eu, não tenho nada a ver com isso. Mas Deus pergunta a cada um de nós: onde está o teu irmão? 
Escuta de novo a passagem do livro do Génesis. De que irmãos fala o Senhor, quando te faz esta pergunta? 

 

Colóquio final

Hoje, vence a indiferença e abraça o mundo inteiro. 
Que pedido específico te fazem Jesus e sua Mãe? O que podes fazer pela Paz e pelos teus irmãos? Deixa-te tocar e acaba este tempo rezando, como Nossa Senhora pediu em Fátima. 

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Ámen.