Sexta-feira da décima quarta semana do tempo comum

Sexta-feira da décima quarta semana do tempo comum

Começa devagar, dando tempo ao silêncio interior para se instalar em ti e crescer. Onde estás é onde Deus quer estar contigo. Mas precisas de te dispor a acolhê-Lo e, para isso, precisas do silêncio interior. Devagar, põe de lado a torrente de pensamentos que te ocupa, e reza em silêncio: “Bendito sejas, Senhor, meu Deus”. Vai repetindo este louvor, fazendo dele a referência destes momentos... e começa assim a tua oração.

Quinta-feira, festa litúrgica de São Bento, Padroeiro da Europa

Quinta-feira, festa litúrgica de São Bento, Padroeiro da Europa

Procurar Deus... procurar a face de Deus... foi o ensinamento essencial que São Bento deixou aos seus monges... Com este ensinamento nas mãos e no coração, os monges ergueram a Europa cristã a partir das ruínas do império romano. E voltariam a fazê-lo, uma e outra vez, ao longo dos séculos. Hoje, os cristãos todos da Europa precisam de escutar São Bento e aprender a procurar Deus... procurar a face de Deus... se querem que o Evangelho continue a ser uma referência na Europa. Deixa-te seduzir por este desejo de Deus... pede-o com insistência... e começa assim a tua oração.

Quarta-feira da décima quarta semana do tempo comum

Quarta-feira da décima quarta semana do tempo comum

“Feliz o que espera no Senhor...”. É uma felicidade profunda, marcada pela confiança na bondade de Deus, sempre fiel à sua palavra. Deixa esta confiança crescer em ti e poderás experimentar a felicidade de quem espera no Senhor. Haverá, certamente, momentos menos bons, haverá alturas em que confiar no Senhor poderá parecer inútil, pois as coisas correm mesmo mal... mas bem no teu interior permanecerá a certeza de que Deus é fiel à sua palavra e cumpre sempre as suas promessas. Esta é uma certeza para a vida toda e para todas as situações... “Feliz o que espera no Senhor...” – com estas palavras, começa a tua oração.

Terça-feira da décima quarta semana do tempo comum

Terça-feira da décima quarta semana do tempo comum

É bom que sintas o teu coração em paz, diante de Deus e diante dos outros. Mas é importante não confundires paz com indiferença, como se pudesses alhear-te dos males do mundo. A paz do coração, se vem de Deus, ajuda-te a estar presente onde podes e a fazer o que podes, sem te angustiares pelas muitas necessidades às quais não te é possível dar resposta. Pede ao Senhor este dom da paz interior... e começa assim a tua oração.

Segunda-feira da décima quarta semana do tempo comum

Segunda-feira da décima quarta semana do tempo comum

Durante uma parte da nossa vida imaginamo-nos invulneráveis, como se fôssemos viver para sempre. O passar dos anos, porém, ensina-nos a fragilidade das coisas, a nossa fragilidade e a brevidade da vida sobre a terra: “como a erva que reverdece de manhã e à tarde seca, sob o calor do sol”, diz o salmista. Esta fragilidade pode magoar-te e ser motivo de revolta, se não for vivida à luz da ressurreição de Cristo, princípio da tua ressurreição. Pede a Cristo ressuscitado a graça de ir crescendo em ti, fortalecendo a tua vida interior, tornando-a vida para a eternidade... e começa assim a tua oração.

Décimo quarto domingo do tempo comum

Décimo quarto domingo do tempo comum

Louvar o Senhor... dar graças ao seu Nome santo... mesmo quando não apetece, quando o coração se fecha na tristeza ou na dor. Pode ser um louvor sofrido, um agradecer magoado... o importante é o coração não ficar fechado a Deus e ao seu amor. A oração é a forma mais pessoal de seguir este caminho da gratidão, em diálogo com Deus, mesmo quando apenas tens queixas para Lhe apresentar. Pede ao Senhor que coloque no teu coração sentimentos de louvor e gratidão, também por poderes celebrar este domingo e a ressurreição do Senhor. E começa assim a tua oração.

Sexta-feira da décima terceira semana do tempo comum

Sexta-feira da décima terceira semana do tempo comum

Rezar é, com frequência, um combate: um combate contra tudo aquilo que procura afastar-te de Deus. Em primeiro lugar, talvez, o teu cansaço, as desilusões que a vida traz inevitavelmente consigo. E talvez, também, o ambiente que te rodeia, os pecados dos outros e os teus pecados. Neste combate, porém, tens o mais poderoso dos aliados: o próprio Deus, que te busca continuamente e está sempre contigo. Deixa que seja Ele a combater por ti, sobretudo quando sentes que não podes mais. Confia no Senhor... entrega-Lhe os teus dias... e começa assim a tua oração.

Quinta-feira, memória litúrgica de Santa Isabel de Portugal

Quinta-feira, memória litúrgica de Santa Isabel de Portugal

Só Deus permanece para sempre e nós permanecemos na medida em que permanecemos n’Ele. Tudo o mais é desgastado pela inexorável passagem do tempo. Santa Isabel de Portugal pressentiu bem este mistério e soube aproveitar o tempo para crescer diante de Deus em caridade, servindo os pobres e orientando os poderosos nos caminhos da justiça. Aprende com ela a viver na presença deste Deus único, eterno, imutável no amor pelas suas criaturas, e deseja imitá-la no serviço incansável aos que vivem contigo. Deixa crescer em ti este desejo... e começa assim a tua oração.

Quarta-feira, festa litúrgica de São Tomé, Apóstolo

Quarta-feira, festa litúrgica de São Tomé, Apóstolo

O apóstolo Tomé ficou conhecido sobretudo pela sua recusa em acreditar na palavra dos seus companheiros quanto à ressurreição de Jesus. Não teve problemas em dizer: “Se não vir, não acreditarei”. A tua oração é a prova de que é possível ir mais longe e acreditar sem ver, como acabou por acontecer com Tomé: Na verdade, ele viu Jesus ressuscitado, mas confessou a sua fé dizendo: “Meu Senhor e meu Deus”. Viu Jesus, mas confessou-O Deus e Senhor – e isso já não lhe era dito pelos olhos, mas pela fé. Faz tuas as palavras de Tomé e diz a Jesus: “Meu Senhor e meu Deus”. E começa assim a tua oração.

Terça-feira da décima terceira semana do tempo comum

Terça-feira da décima terceira semana do tempo comum

Cada um reza como é, com os seus defeitos e virtudes. Pode dizer-se que cada um reza sozinho, mesmo quando o faz durante uma celebração litúrgica. A oração é esse diálogo único entre cada um e Deus, umas vezes mais grito de súplica, outras mais cântico de louvor; umas vezes mais angustiada, outras mais marcada pelas cores da alegria... Dá lugar ao que sentes neste momento... Dá lugar à tua verdade diante de Deus... e começa assim a tua oração.

Décimo terceiro domingo do tempo comum

Décimo terceiro domingo do tempo comum

“Vinde, exultemos de alegria no Senhor, aclamemos a Deus, nosso salvador”. Esta exortação do salmista pode nem ser a mais apropriada ao modo como te sentes... mas procura fazê-la tua, procura alegrar-te na presença do Senhor, dá graças por esta presença e procura senti-Lo como teu salvador... Deixa que o Espírito do Senhor seja o teu guia, pede-Lhe para fazer descer sobre ti a sua bênção... e com este pedido, começa a tua oração.